Pesquisa da Univates busca desenvolver tecnologia de tratamento de micropoluentes presentes na água

Postado as 28/07/2020 13:42:49

Por Vinicius Mallmann

 

O interesse pela análise de micropoluentes, entre eles os fármacos, na água vem ganhando destaque ao longo dos anos com o aprimoramento das técnicas de análise e equipamentos sofisticados capazes de detectar e tratar substâncias em concentrações mínimas. Uma pesquisa desenvolvida pelo Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia - PPGBiotec da Universidade do Vale do Taquari - Univates busca detectar e quantificar resíduos de fármacos do tipo antibióticos presentes na água da região do Vale do Taquari.

Divulgação

 

Intitulada “Detecção e Remoção de micropoluentes em sistemas de captação de águas superficiais e efluentes”, a pesquisa teve início em 2014, quando a Instituição recebeu um aporte financeiro da Financiadora de Estudos e Projetos - Finep para a compra do “cromatógrafo a líquido acoplado a um espectrômetro de massas (HPLC-MS)”. O equipamento é capaz de quantificar a presença de fármacos em baixas concentrações. “Com o HPLC-MS, podemos quantificar e simular de forma real as amostras coletadas nos rios. Para isso, usamos a extração da água na fase sólida, que é uma técnica para pré-concentrar os resíduos dos fármacos”, explica a professora e coordenadora da pesquisa, doutora Lucélia Hoehne.

Metodologia e Resultados

Com uso de diferentes tratamentos de radiação ultravioleta, os pesquisadores quebraram as moléculas dos fármacos infiltrados na água, degradando esses resíduos. Até agora foi possível degradar resíduos de amoxicilina e cefalexina em âmbito de laboratório.

Após esses testes, são coletadas novas amostras e realizado o teste de toxicidade, que visa a garantir que o tratado na radiação não fique mais tóxico ao ambiente do que as moléculas de fármacos originais. “Esta fase da pesquisa é importante, pois estamos desenvolvendo toda a metodologia em laboratório com todos os padrões, assim, podemos adequar toda a tecnologia e aplicar em uma situação real”, salienta a pesquisadora.

Conforme Lucélia, entre os próximos passos da pesquisa está a verificação da presença desses micropoluentes no Rio Taquari. “O próximo passo da nossa pesquisa é aplicar no Rio Taquari os estudos feitos nos laboratórios. Caso seja encontrado algum desses micropoluentes, podemos desenvolver tratamentos avançados para contribuir com estações de tratamentos de água e esgotos, o que garante à nossa comunidade melhor qualidade de nossas águas”, finaliza.

 

Além da coordenadora Lucélia Hoehne, fazem parte da pesquisa os professores da Univates: Simone Stulp, Eduardo Miranda Ethur, Elisete Maria de Freitas, Claucia Volken de Souza, Daiane Heidrich,  Rafael Eckhardt e as professoras da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI Erechim, Clarice Steffens e Juliana Steffens. Além disso, o grupo ainda conta com os bolsistas Sabrina Grando Cordeiro, Ytan Andreine Schweizer e Letícia Angeli Oliveira, as mestrandas Gabriela Vettorello e Elziane Ferro, a doutoranda Aline Viana e os voluntários Daniel Kuhn, Aline Dalcorso, Peterson Haas e Bruna Costa, todos ligados ao PPGBiotec da Univates. 

Inscrições abertas para doutorado

 

Estão abertas as inscrições para o processo de seleção complementar do doutorado do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia (PPGBiotec) da Universidade do Vale do Taquari - Univates. São cinco vagas oferecidas para ingresso nos meses de agosto e setembro deste ano. As inscrições podem ser realizadas até dia 31 de julho, pelo site www.univates.br/ppgbiotec. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail ppgbiotec@univates.br ou pelo telefone (51) 3714-7000, ramal 5615.