Mestrado Interinstitucional em Ensino da Univates tem seu primeiro mestre

Postado as 28/09/2020 15:45:50

Por Nicole Morás

Acervo pessoal

O primeiro diplomado no Mestrado Interinstitucional (Minter) do Programa de Pós-Graduação em Ensino (PPGEnsino) da Universidade do Vale do Taquari - Univates defendeu a dissertação “Semeando ideias empreendedoras no Polígono da Seca: um estudo sobre as repercussões do ensino desenvolvido no curso de Enfermagem da UniAGES” na última terça-feira, dia 22. Trata-se de Mirelton Souza Santos, que analisou o impacto do ensino norteado por metodologias ativas para o fomento de competências empreendedoras em egressos do curso de Enfermagem do Centro Universitário AGES (UniAGES). O trabalho foi orientado pela professora Silvana Neumann Martins, e a banca foi composta pelos doutores Rogério José Schuck, Marli Teresinha Quartieri e Claudete Moreschi.

Conforme Santos, a ideia foi compreender como a metodologia de ensino que coloca o estudante em papel ativo e como protagonista do seu aprendizado poderia contribuir para a inserção dos profissionais no mercado de trabalho e como alternativa à problemática de empregabilidade entre egressos do curso de Enfermagem. “Essa é uma situação que pode ser verificada em cidades interioranas, como a região semiárida da Bahia, onde o desenvolvimento do setor de saúde é limitado, o que é reflexo da escassez de recursos de um território castigado pela seca”, afirma.

Com abordagem qualitativa e por meio de entrevistas, Santos analisou como as metodologias ativas impactaram na realização de ações empreendedoras dos egressos, e a maneira como o ensino ofertado pela instituição UniAGES reúne diretrizes metodológicas e filosóficas que preconizam o empreendedorismo. “O estudo também permitiu refletir sobre a relevância do empreendedorismo como uma possível solução para a escassez de empregos na região”, analisa o mestre. A coordenadora do PPGEnsino, Ieda Maria Giongo, comemora a primeira defesa.

A primeira defesa certamente nos deixa muito orgulhosos pois demonstra o esforço de toda a equipe do Programa para que a parceria produzisse investigações pertinentes àquela região. Também evidencia o amadurecimento do corpo docente, sobretudo no âmbito da pesquisa, tendo em vista que orientar pesquisas em contexto tão diverso ao nosso requer maturidade científica. Em breve outras defesas ocorrerão, igualmente com resultados de investigações que procuram sanar problemas e inquietudes de docentes daquela região
Ieda Maria Giongo, coordenadora do PPGEnsino

O Minter é realizado desde 2018, em uma parceria entre a Univates e o Centro Universitário AGES, na cidade de Paripiranga, na Bahia. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail ppgensino@univates.br.

Uma experiência gratificante

Acervo pessoal

Para Mirelton, o Mestrado Interinstitucional do PPGEnsino aprimorou sua prática docente. “Por meio das disciplinas foi possível conhecer um universo de possibilidades, como métodos, recursos, estratégias e tecnologias aplicadas ao ensino que são fundamentais para o exercício da profissão docente”, analisa ele. Santos destaca que o Minter despertou seu olhar para a pesquisa científica, o anseio de investigar os problemas locais e por meio do ensino solucionar esses dilemas.

“Foi muito gratificante cursar o Minter. O sucesso do programa se deve ao empenho e à qualidade educacional das instituições Univates e UniAGES. A parceria rendeu um mestrado acadêmico com qualidade. Agradeço aos professores que compartilharam suas experiências e saberes aqui no Nordeste. Em meio a esse novo mundo em que estamos vivendo, é válido refletir que programas como o Minter aproximam culturas, saberes e principalmente fazem nascer novos saberes para a sociedade”, finaliza Santos.

Como funciona o Minter em Ensino?

Os professores do Minter são os mesmos que realizam atividades na Univates, o que garante que a qualidade do Programa de Pós-Graduação estará assegurada. Para as aulas, eles se deslocaram para a AGES para ministrar as disciplinas, cuja carga horária foi concentrada na primeira semana de cada mês, de outubro de 2018 a setembro de 2019. Desde essa data os mestrandos desenvolveram pesquisas com orientações periódicas por videoconferência.

Ieda explica que o maior impacto da realização das atividades do PPGEnsino na Bahia será em relação ao estudo das realidades escolares locais e à proposição de novas teorias e métodos que expliquem ou resolvam os objetos de investigação.