Fuvates, mantenedora da Univates, tem nova diretoria eleita

Postado as 23/11/2020 14:50:56

Por Lucas George Wendt

A Fundação Vale do Taquari de Educação e Desenvolvimento Social (Fuvates), mantenedora da Universidade do Vale do Taquari - Univates, realizou na manhã do último sábado, 21, durante reunião ordinária da sua Assembleia Geral, a eleição da sua diretoria para o período de 2021 a 2024.

A nova gestão tem como desafio pós-pandemia auxiliar na reestruturação da Univates em cenários educacionais alternativos. Além disso, a Fuvates passa a ter sob sua gerência um conjunto de novos negócios mantidos para a prestação de serviços principalmente nas áreas da saúde e de análises laboratoriais, contando também com a implantação de nova unidade da Instituição em Nova Mutum, no Mato Grosso.

Na região mato-grossense, no mês de dezembro será inaugurado um prédio para instalação de laboratórios do Unianálises, que deverão começar a funcionar no início do próximo ano. Da mesma forma está programado para o próximo ano o início de cursos de graduação, pós-graduação e técnicos presenciais e a distância.

Confira o resultado da eleição

O Conselho de Administração da Fuvates de 2021 a 2024 será composto por:

Fernanda Possebon

Presidente
Ney José Lazzari

Vice-presidente 
Valmor Arsildo Kappler

 

Conselheiros titulares 

Adilson Carlos Metz
Bruno Pivatto 
Ivete Susana Kist 
Marcos Rogerio de Castro Frank
Renata Casagrande Galiotto

Conselheiros suplentes

Breno Aloísio Ely 
Camile Bertolini Di Giglio 
Fabio Antonio Benoit 
Gilmar José Bourscheid 
Luís Inácio Petry 

A Assembleia terá como representantes no Conselho de Curadores os membros: 

Conselheiros titulares 

Ari Kunzel
Adriano José Azeredo 

Conselheiros suplentes 

Sandro Nero Faleiro
Evandro Franzen

Pronunciamentos

Elise Bozzetto

O presidente eleito, professor Ney José Lazzari, atual reitor da Univates, falou aos presentes. Em 2021 ele se despede do cargo de reitor, que ocupou desde a junção das faculdades que formaram a Unidade Integrada Vale do Taquari de Ensino Superior (UNIVATES), transformada em Centro Universitário em 1999. 

No início da fala ele demonstrou gratidão. “Um agradecimento a todos os que vieram antes de nós. A Instituição que existe hoje deve a todos aqueles que vieram antes de nós. Se não fossem os sonhos idealizados pelos pioneiros, não teríamos o que temos aqui hoje”, assegurou. Relembrando de uma fala frequente do conselheiro da Fuvates Italo Reali, falecido na última semana, o novo presidente eleito da mantenedora relacionou o tamanho do Vale do Taquari ao tamanho da sua Universidade comunitária.

O que temos pela frente são grandes desafios. Talvez os próximos quatro anos sejam os mais provocativos da nossa história. É momento de nos reinventarmos, mais do que antes. É o que se coloca, especialmente, para a área do ensino, com as novas tecnologias e os novos tempos, mas que continuará sendo a principal mantida da Fundação
Ney Lazzari, presidente eleito da Fuvates

Lazzari lembrou que, em busca da sustentabilidade financeira, outras frentes de atuação cresceram dentro da Universidade, o que impeliu a Fuvates a buscar uma nova forma de se organizar internamente e continuar cumprindo com o seu propósito social. A prestação de serviços sempre esteve presente no seio das atividades acadêmicas da Instituição, mas passou a ser mais estimulada especialmente a partir de 2017, com o agravamento da crise do financiamento estudantil (Fies) e a consequente redução do número de alunos. “Parcerias com entidades públicas e privadas já são muitas e serão intensificadas. Temos muitos compromissos com as nossas entidades parceiras e com a sociedade”, afirmou.  

O atual reitor também saudou os atuais integrantes da Reitoria, profissionais que trabalharam com ele ao longo dos últimos anos, além do atual presidente da mantenedora, professor Carlos Cândido da Silva Cyrne, que desde 2013 esteve à frente da mantenedora. “Muitas respostas nós já temos; muitas outras surgirão pelo caminho”, finalizou o presidente eleito da Fuvates. 

Quem também se pronunciou foi o professor Carlos Cyrne, que também é vice-reitor da Univates. Para ele, o trabalho em conjunto deve ser intenso. “Que as demais atividades incorporadas à Fundação possam dar continuidade às ações da Universidade”, disse. O professor Cyrne também parabenizou os eleitos para a direção da Fundação. 

A reitora da Universidade eleita para o período de 2021 a 2024, professora Evania Schneider, também se pronunciou, relatando expectativa para o trabalho conjunto que será desenvolvido a partir do próximo ano. Evania e Fernanda Storck Pinheiro, a vice-reitora, estarão à frente da Univates, maior entidade mantida pela Fuvates.

Para entender

O processo eleitoral da Fundação é regido pelo Estatuto da entidade. Ele ocorre a cada quatro anos, sempre em novembro, em reunião ordinária convocada para a finalidade. 

Para concorrer à presidência e vice-presidência, os candidatos devem ser membros da Assembleia Geral da Fundação. Os demais componentes da chapa (conselheiros de administração titulares e suplentes) não precisam necessariamente compor a assembleia. Estes podem ser pessoas da comunidade que atuam de maneira voluntária. 

No processo eleitoral também são escolhidos os representantes da Assembleia no Conselho de Curadores, que fiscaliza as contas da Fundação. Nesse caso devem ser membros da Assembleia da Fundação. São eleitos dois titulares e dois suplentes, que farão parte do Conselho, em conjunto com os indicados pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), pelo Conselho Regional de Contabilidade (CRC) e pela Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil). No total são dez curadores.  

A Assembleia, com mais de 120 membros, é composta de representações de professores, alunos, funcionários e da comunidade externa do Vale do Taquari. Mais informações sobre o processo eleitoral e detalhes sobre a Fuvates podem ser conferidos no site www.univates.br/fuvates.