Projetos da Univates desenvolvem Cartilha de Educação Patrimonial “Recolorindo Memórias”

Postado as 04/12/2020 11:03:37

Por Nicole Morás

O curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade do Vale do Taquari - Univates, por meio do projeto de extensão Patrimônio Vivo e do projeto de pesquisa Para Além dos Muros, apresentou na manhã da última quarta-feira, dia 2, ao secretário de Educação, Cultura, Desporto, Turismo e Juventude de Santa Clara do Sul, Mauro Heinen, a cartilha “Recolorindo Memórias”. O material desenvolvido é resultado das ações extensionistas e de levantamentos na região rural do município. 

De acordo com o professor Jauri dos Santos Sá, que coordena o projeto de pesquisa, esse instrumento de educação patrimonial busca atingir diferentes públicos e conscientizar as comunidades da região sobre seu patrimônio histórico e cultural.

Assim, criamos oportunidades para que as gerações presente e futura possam se apropriar desse legado existente e se reconhecer dentro das memórias e tradições
Professor Jauri dos Santos Sá

Jauri explica que nos exemplares da cartilha buscou-se representar o panorama da diversidade arquitetônica existente nas comunidades. “Foram elencadas edificações com fortes traços culturais. O patrimônio material serviu como base para a elaboração de um mapa de referência e de croquis para colorir, desenvolvidos por parceiros voluntários do projeto”, revela.

As edificações identificadas nos projetos remetem aos períodos de povoamento dos locais, presentes na comunidade do Vale do Sampaio, formado por parte dos territórios de Santa Clara do Sul, Cruzeiro do Sul, Venâncio Aires e Mato Leitão, e nas comunidades de Picada Santa Clara, Picada Passo Fundo e Sampainho, em Santa Clara do Sul.

Além da versão entregue, uma cópia da cartilha de educação patrimonial, em PDF, foi disponibilizada à Secretaria de Educação para que seja distribuída aos professores de Artes e de História da rede pública de Ensino Fundamental. “Foram propostos, como exercício, a construção do cenário político, social e cultural do lugar, uma breve explicação sobre as obras arquitetônicas e o porquê elas serem consideradas  patrimônio cultural para na sequência convidar os estudantes a expressarem-se artisticamente, possibilitando recolorir as edificações da cartilha. O objetivo é instigar o conhecimento sobre a memória, a história e a arquitetura dos diferentes locais e, a partir disso, despertar o interesse sobre o patrimônio cultural, promovendo sua valorização e salvaguarda”, finaliza o professor.

A equipe dos projetos é formada também pela professora Jamile Weizenmann, que coordena o projeto de extensão Patrimônio Vivo, pelas estudantes do curso de Arquitetura e Urbanismo Carol Nichel e Luize França da Rocha e pela diplomada do curso Andressa Carnevalli Mallmann.