MEC: 4 dos 10 melhores cursos de instituições privadas do Rio Grande do Sul são da Universidade do Vale do Taquari

Postado as 09/12/2020 17:26:39

Por Elise Bozzetto

 

O Ministério da Educação (MEC) divulgou hoje (09) o Conceito Preliminar de Curso (CPC), indicador que avalia a qualidade dos cursos de graduação que participaram do Enade 2019. Dos dez melhores cursos de instituições privadas do Rio Grande do Sul, quatro são da Univates (Educação Física, Engenharia de Produção, Farmácia e Nutrição).

Giancarlo Kuhn

A Univates, que neste ciclo teve 19 cursos avaliados, conseguiu resultados acima da média brasileira. Todos os cursos obtiveram conceitos de excelência (notas 4 ou 5, numa escala que vai de 1 a 5), sendo que no País menos da metade dos cursos alcançaram esses conceitos. Os cursos de Educação Física (bacharelado), Engenharia de Controle e Automação, Engenharia de Produção, Farmácia e Nutrição alcançaram a nota máxima: 5. Os demais - Enfermagem, Estética e Cosmética, Biomedicina, Fisioterapia, Engenharia Mecânica, Medicina, Odontologia, Engenharia Química, Engenharia Civil, Engenharia Ambiental, Engenharia de Alimentos, Engenharia Elétrica, Arquitetura e Urbanismo e Engenharia da Computação - alcançaram nota 4. No Enade 2019 foram avaliados, no RS, quase 600 cursos das áreas da saúde, engenharias e arquitetura.

 

O CPC é calculado com base no desempenho dos estudantes na prova do Enade, no valor agregado pelo curso ao desenvolvimento dos estudantes concluintes, no perfil do corpo docente do curso e na percepção dos estudantes sobre as condições oferecidas ao seu processo formativo.

Ranking reafirma a posição da Univates como uma das melhores universidades do País

Elise Bozzetto

Entre as universidades avaliadas, Educação Física (bacharelado), Farmácia e Nutrição foram considerados pelo CPC como os melhores cursos de todo o Brasil. Biomedicina é o segundo melhor curso do Rio Grande do Sul e o terceiro melhor da região Sul entre universidades públicas e privadas. Estética e Cosmética também é o terceiro melhor da região Sul entre as universidades avaliadas. Outro destaque ficou para as engenharias. Engenharia de Controle e Automação, Engenharia de Produção e Engenharia Mecânica foram avaliados como os segundos melhores cursos em solo gaúcho.

Para o reitor da Univates, Ney José Lazzari, o resultado mostra a qualidade que a Universidade, por meio de sua comunidade acadêmica, tem alcançado. “O resultado reflete o envolvimento de nossos alunos, de nossos professores e da Instituição como um todo. É novamente um reconhecimento, da autoridade educacional oficial, da qualidade do que fazemos na Univates. Parabéns para todos nós”, comemora.

Notas mais altas

Foram mais de oito mil cursos avaliados no Brasil, e o bacharelado em Educação Física está entre o seleto grupo dos 10 cursos com nota mais alta no País. Já o curso de Farmácia figura entre os 10 cursos que alcançaram a nota mais alta no Estado.

 

Os cursos de Engenharia de Produção e Nutrição também figuram entre os 10 cursos com notas mais altas entre as instituições privadas do Rio Grande do Sul. 

Lucas George Wendt

 

Para a pró-reitora de Ensino, Fernanda Storck Pinheiro, o momento é de comemoração. “Nós estamos muito felizes com os resultados obtidos neste ciclo de avaliação. O CPC é um indicador oficial da qualidade dos cursos de graduação, dos cursos superiores no Brasil e, portanto, alcançar novamente esses resultados nos deixa muito felizes. Há duas questões importantes para pontuar: a primeira, é o resultado histórico. Se nós olharmos, a cada ciclo os cursos da Univates têm demonstrado muita qualidade, tanto nas provas do Enade, quanto nos conceitos de cursos. A segunda é lembrarmos que essas avaliações são cíclicas e por área. Então, independentemente da área, nós temos repetido bons resultados. Então, é motivo de comemorar sim, é motivo de reverberar essa qualidade, pois quem escolhe estudar na Univates está escolhendo, sem dúvida alguma, estudar em cursos de extrema qualidade, seja pelo currículo, seja pela aula, seja pela formação dos professores, seja pelo investimento que a Instituição faz em toda a sua estrutura física e no próprio grupo docente, na própria aula, naquilo nós fazemos todos os dias”, finaliza Fernanda.