Estudo produzido na Univates analisa qualidade de vida de gestantes e puérperas em Lajeado

Postado as 07/01/2021 13:46:14

Por Vinicius Mallmann

Divulgação

 

 

A gestação e o período de puerpério, fase pós-parto em que a mulher experimenta modificações físicas e psíquicas, são fenômenos fisiológicos que envolvem diversas mudanças caracterizadas pelas grandes oscilações físicas e emocionais que podem interferir na qualidade de vida de uma mulher. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), essa qualidade de vida foi definida como a percepção do indivíduo de sua posição na vida no contexto da cultura e do sistema de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações.

 

 

Em um estudo realizado na Universidade do Vale do Taquari - Univates, a diplomada do curso de Nutrição Liliane Maria Schumacher buscou investigar a percepção da qualidade de vida de gestantes e puérperas e sua relação com dados sociodemográficos e nutricionais no município de Lajeado. A pesquisa, orientada pelas professoras Patrícia Fassina e Fernanda Scherer Adami, foi realizada como Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da Residência Multiprofissional em Saúde - Saúde da Família, sendo publicada na Revista Brasileira de Promoção da Saúde.

Resultados do estudo

 

Para realizar o estudo, a estudante da residência, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Lajeado, realizou uma pesquisa quantitativa com 57 gestantes e puérperas, aplicando um questionário estruturado contendo dados sociodemográficos e clínicos de cada participante. Além disso, ainda foi aplicado o questionário WHOQOL-BREF, desenvolvido pela OMS, que busca identificar a valorização da percepção individual, podendo avaliar a qualidade de vida em diversos grupos e situações.

Acervo pessoal

Das participantes da pesquisa, 32 (56,1%) apresentavam-se eutróficas, em um bom estado nutricional. Em comparação a outras pesquisas realizadas nas cidades de Pato Branco, no Paraná e no município de Sobral, Ceará, os resultados mostram um padrão nacional, com o índice de pessoas eutróficas variando de 45% a 60%. Já outros 14% das mulheres já iniciam a gestação com sobrepeso e 26,3% com obesidade, totalizando 40,3% das mulheres com excesso de peso no início da gestação. Este resultado revela números inferiores aos constatados em pesquisa realizada em 26 capitais e o Distrito Federal com a população adulta, que demonstrou uma frequência de excesso de peso de 55,7% e de obesos de 19,8%, que somados representam 77,8%l.

 

Liliane ainda verificou os dados referentes a mulheres que apresentaram ganho de peso acima do recomendado para a idade gestacional, neste tópico o estudo revelou que 43,9% das participantes obtiveram ganho de peso acima do recomendado para o período. Para a estudante, os dados encontrados servem de alerta para a comunidade. “Considerando que a gestação é um período de risco para o desenvolvimento de obesidade e suas comorbidades em mulheres em idade fértil, é extremamente importante que se monitore o ganho de peso e se realize a educação nutricional no pré-natal”, analisa. 

Além do estado nutricional, a pesquisa avaliou a percepção das gestantes e puérperas em relação à qualidade de vida.Com as respostas, Liliane identificou que das 57 participantes, 41 (72%) consideraram sua qualidade de vida “boa”, 43 (75,4%) responderam estar “satisfeitas” ou “muito satisfeitas” com a sua saúde. Com a pesquisa, a nutricionista pode concluir que quanto mais jovens, maior a percepção de qualidade de vida das participantes. Não houve, porém, diferença significativa entre a percepção de qualidade de vida e o estado nutricional das participantes, o que demonstrou que o estado nutricional não influenciou no na percepção geral de qualidade de vida das mulheres. 

Vinicius Mallmann

De acordo com a professora do curso de Nutrição, Fernanda Scherer Adami, pesquisas  com a população local são de extrema importância, pois os órgãos responsáveis pela saúde podem direcionar suas forças aos reais problemas que a sociedade encontra. “É de extrema importância que os estudantes e profissionais da área da saúde tenham comprometimento com a pesquisa, para conhecer melhor as necessidades da população a que atende, objetivando a melhora do serviço de saúde e a qualidade de vida da população”, destaca.

Curso de Nutrição é eleito o melhor entre as universidades do País

O curso de Nutrição da Universidade do Vale do Taquari - Univates foi eleito o melhor entre as universidades do Brasil. Ele obteve nota máxima (5) no Conceito Preliminar de Curso (CPC), divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) no dia 9 de dezembro. O indicador avaliou a qualidade dos cursos de graduação que participaram do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) 2019. 

 

Pelo segundo ciclo avaliativo consecutivo, o curso também foi classificado como o melhor do Rio Grande do Sul. Os bons resultados refletem, sobretudo, o trabalho que vem sendo realizado por estudantes e professores vinculados à graduação.  

Inscrições abertas

 

O curso de Nutrição é um dos 29 cursos de graduação presenciais da Univates que recebem inscrições. Os candidatos podem se inscrever gratuitamente no vestibular, que está sendo realizado de forma on-line, em www.univates.br/vestibular.