Univates planeja criação de ambulatório para reabilitação de pacientes após Covid

Postado as 19/04/2021 09:12:19

Por Nicole Morás

Os cursos de Educação Física, Fisioterapia, Psicologia e Odontologia da Universidade do Vale do Taquari - Univates, em conjunto com o Saúde Univates, estão articulando a implementação de um ambulatório para pacientes que tiveram complicações decorrentes do Covid-19 e que estejam em período de reabilitação com necessidade de assistência a nível ambulatorial. 

Conforme a coordenadora do projeto e do curso de Fisioterapia, professora Lydia Koetz Jaeger, a ideia é que sejam assistidos pacientes que residam nos municípios que compõem a região da 16ª Coordenadoria Regional de Saúde (16ª CRS), que engloba 37 municípios e mais de 300 mil habitantes. Esses pacientes poderão ser encaminhados ao ambulatório por serviços de atenção básica, média ou alta complexidade. As atividades serão realizadas nos espaços que já existem na Univates.

Este tipo de ambulatório é inédito em nossa região e permitirá a ampliação da integração que ocorre entre os cursos de graduação e o Saúde Univates. Destaca-se que, no ambulatório, os pacientes serão atendidos por estudantes e estagiários sob supervisão, professores e profissionais de saúde dos cursos de graduação
Professora Lydia Koetz Jaeger

O diretor do Saúde Univates, Jairo Hoerlle, destaca que até então os serviços prestados pelo Saúde Univates eram única e exclusivamente realizados por profissionais formados. “Entendemos que esta é uma situação que pode fortalecer o vínculo entre o nosso serviço de saúde os os cursos em benefício de pacientes que precisem de acompanhamento para reabilitação após serem acometidos pelo Covid”, acrescenta ele.

Para que as atividades sejam realizadas, foi enviado um projeto para  Secretaria Municipal de Saúde do município de Lajeado, que posteriormente será encaminhado à 16ªCRS para requerimento do cadastro do ambulatório. “Segundo dados da Secretaria de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul, até o dia 08 de abril, foram confirmados 36.979 casos de Covid-19 na região da 16ª CRS, 10.383 casos a cada 100 mil habitantes. Os dados demonstram a importância desse ambulatório, tendo em vista que a estimativa de pessoas que necessitem de algum tipo de reabilitação após o acometimento da doença é de 5%, ou seja, aproximadamente 1500 pessoas. Caso o projeto seja aprovado, os pacientes começarão a ser atendidos ainda esse semestre”, afirma Lydia.

O ambulatório

Lucas George Wendt

 

O ambulatório funcionará como referência para as pessoas que tiveram Covid-19 e necessitam de reabilitação fisioterapêutica, odontológica, psicológica e/ou física. Os usuários serão referenciados pelos serviços que compõem a rede de atenção à saúde da 16ª CRS, independentemente do nível de complexidade da atenção do serviço. Serão atendidos homens e mulheres de todas as idades com diagnóstico prévio de Covid-19 com ou sem internação hospitalar, em período de reabilitação pós-Covid-19, em unidade ambulatorial.

O paciente será acolhido pelo serviço ao qual foi referenciado (Educação Física, Fisioterapia, Psicologia ou Odontologia) e avaliado conforme as necessidades de saúde identificadas. Para cada área será aplicado um protocolo de avaliação específico e será desenvolvido o plano de intervenção, tendo em vista a reabilitação dos pacientes. É importante destacar que os municípios e/ou usuários serão responsáveis pelo transporte dos pacientes até a Univates. Após alta dos atendimentos no Ambulatório os pacientes serão acompanhados por meio do serviço de Telessaúde com vistas a manutenção da qualidade de vida dos participantes.

Para articulação do cuidado integral aos pacientes, serão realizadas reuniões quinzenais das equipes, envolvendo discussões de caso e estudos de temas emergentes e pertinentes à Covid-19. Também, caso haja necessidade, a equipe do ambulatório entrará em contato com as equipes de referência dos pacientes para discussão de casos e pactuação de ações de cuidado em saúde.