Utilizamos cookies neste site. Alguns são utilizados para melhorar sua experiência, outros para propósitos estatísticos, ou, ainda, para avaliar a eficácia promocional do nosso site e para oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações sobre os cookies utilizados, consulte nossa Política de Privacidade.

Experiências de cidades do Vale do Taquari e do Brasil ganham destaque no terceiro dia do CRIE Smart Cities

Postado as 25/08/2021 23:14:01

Por Nicole Morás

Quais iniciativas resultam em cidades mais inteligentes? Foi para compartilhar a experiência de municípios do Vale do Taquari e de Juazeiro do Norte, no Ceará, que a programação do CRIE Smart Cities seguiu com sua programação nesta quarta-feira, 25. No painel “Ações de que resultam em cidades Inteligentes - Cases Vale do Taquari”, a gestora do Escritório de Relações com o Mercado da Univates, Cristiani Reimers, apresentou algumas iniciativas realizadas pela Universidade que contribuem para o desenvolvimento de cidades mais inteligentes no Vale do Taquari.

Nicole Morás

 

“Desde 2018 temos o Univates Pró-Municípios, uma iniciativa voltada para atender demandas dos municípios da região. Nossas atividades são voltadas especialmente para as áreas da educação, ambiente e urbanismo. Trazemos essas demandas para dentro da Universidade e vemos como podemos solucioná-las em parceria com nossos cursos de graduação e programas pós-graduação”, disse ela. Cristiani citou como exemplo uma parceria com Garibaldi para reforço escolar, o projeto para detectar talentos esportivos do município de Colinas e ações com produtores rurais de Santa Clara do Sul.

No mesmo painel, a diretora-presidente da Companhia de Processamento de Dados de Porto Alegre (Procempa), Letícia Batistela, afirmou que as cidades inteligentes são um caminho sem volta. Ela explicou como a Procempa reúne dados e os utiliza para criar soluções inovadoras que contribuam para a vida dos cidadãos. Segundo Letícia, se há um ponto que deve ter prioridade no desenvolvimento de cidades inteligentes é a mobilidade urbana.

Uma smart city no Brasil: o case de Juazeiro do Norte/CE.

Referência em inovação e desenvolvimento, a cidade de Juazeiro do Norte, no Ceará, é um exemplo de cidade inteligente do país.

Kástenes Casali

 

 Durante o debate sobre “Uma smart city no Brasil: o case de Juazeiro do Norte/CE”, mediada pelo presidente da Fundação Univates, mantenedora da Universidade, Ney Lazzari e o articulador do Pro_Move Lajeado, Albano Mayer, o palestrante Michel Araújo abordou iniciativas que fizeram a cidade cearense ser um modelo se tratando de uma smart city.

Michel Araújo é ex-Secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação de Juazeiro do Norte (CE). Ele coordenou o grupo temático de Regulação e Legislação na Formulação da Carta Brasileira para Cidades Inteligentes em 2019. Araújo mostrou números que a cidade paranaense alcançou, como estar entre as cem melhores cidades para se negociar. O município, teve aumento de 9,6% de vendas em relação a 2018. Reconhecida com o primeiro Plano Diretor de Tecnologia para Cidades Inteligentes, o município recebeu uma premiação da multinacional Microsoft. Araújo também falou sobre o Prêmio Smart City Day, que também foi uma iniciativa pioneira. O projeto público-privado foi voltado às áreas como segurança, mobilidade, acessibilidade e bem-estar da população. A cidade ficou em segundo lugar no Índice de Desenvolvimento Humano. 

Conforme o ex-secretário, as startups são investimentos rentáveis para as cidades inteligentes. "Dentro da criação do Plano Diretor, Juazeiro do Norte previu um fundo municipal para investir nas startups, assim valoriza a região através das vendas dessas empresas, no qual o valor volta para esse fundo municipal".

Segundo ele, a iniciativa do Plano Diretor de Juazeiro do Norte projetava a troca de toda iluminação pública para led, a fim de economizar 55% em luminárias. A gestão do governo anterior previa dez parques de fontes renováveis e cem pontos de conexão wi-fi. Além disso, a cidade projetava, uma transversalidade de várias secretarias por meio de um aplicativo, que facilita a comunicação da comunidade com a gestão pública. Araújo finalizou afirmando que a cidade inteligente "é uma temática atual” e incentiva mais debates acerca desse tema.

Lajeado: Uma cidade em Movimento!

Kástenes Casali

Na sequência, o Prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo, proferiu a palestra “Lajeado: uma cidade em movimento”, momento em que mostrou os resultados das iniciativas do município e os caminhos para o futuro. 

Segundo Caumo, há uma estimativa que 70% da população viverá nas cidades. Para o prefeito, portanto, é necessário investir na urbanização dos municípios. Mas afirma que “não existe fórmula pronta e cabe a cada cidade descobrir os caminhos do desenvolvimento”. Neste sentido, ele citou inúmeras ações da prefeitura, como os movimentos Pro_Move e o Pacto pela Paz, que trazem inovação, desenvolvimento e promovem uma cultura de paz para prevenir a violência no município.

Interligado com esses movimentos, Caumo explicou sobre o programa SEJA, no qual é realizada a reeducação de crianças no comportamento socioemocional. "Se trata de lidar com o sentimento desde cedo, possibilitando o autocontrole, para trazer resultados futuros".

Além de projetos sociais, o prefeito apresentou o Plano de Mobilidade Urbana, desenvolvido por meio do Labilá, um laboratório para transformação em ambientes públicos.  Por fim, o prefeito Marcelo Caumo assinou Carta Brasileira para Cidades Inteligentes. Nela o governo de Lajeado se compromete, sobretudo, em promover a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos. 

A mobilidade urbana no Vale do Taquari

Kástenes Casali

A última atividade da noite foi o debate sobre “A mobilidade urbana no Vale do Taquari”, dialogado com representantes das cidades de Lajeado, Estrela e Bom Retiro. Os convidados foram Giancarlo Bervian, João Braun, Carlos Dullius e Nadia Sudario e abordaram as possíveis soluções para a mobilidade das cidades do Vale do Taquari. 

Na quarta-feira também foram realizados os painéis: A Saúde das Cidades Inteligentes: Tecnologia, integração e humanização.; Mobilidados: dados e indicadores para;  nortear políticas públicas; Urbanismo e Saúde; Acessibilidade para cidades mais inclusivas e democráticas; Moedas digitais e as novas relações financeiras; Cidade que educa e transforma; além da Roda de Conversa Como o cicloturismo pode fomentar o turismo de uma região?

A programação do CRIE Smart Cities segue até a sexta-feira, dia 27, com atividades dos seis eixos temáticos: qualidade de vida, mobilidade urbana, sustentabilidade, educação, governança e transformações tecnológicas. A programação completa está disponível no site www.univates.br/criesmartcites, onde também podem ser realizadas as inscrições.

Confira a programação desta quinta-feira, 26

14h - Oficina - Ruas Completas e as Smart Cities

18h30min - Roda de conversa -  Legado das ecovilas para a construção de cidades sustentáveis

19h - Painel - Uso de dados para cidades mais inteligentes

19h - Painel  - Educação para um trânsito compartilhado

19h - Roda de conversa - Cidades resilientes e mobilidade

19h - Roda de conversa - Transitando entre a arte e a vida na escola e na cidade

20h - Painel - A experiência de governança regional dos COREDES

20h30min - Oficina - Produção de campanha para educação e empatia no trânsito

20h30min - Painel - Sistema de conexão de espaços abertos de Lajeado

21h - Painel - Como a arte e a cultura podem transformar territórios

21h - Painel - As cidades e suas relações com os recursos hídricos

21h - Painel - Concessão de Patentes