Utilizamos cookies neste site. Alguns são utilizados para melhorar sua experiência, outros para propósitos estatísticos, ou, ainda, para avaliar a eficácia promocional do nosso site e para oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações sobre os cookies utilizados, consulte nossa Política de Privacidade.

Pesquisadoras da Univates analisam a Astronomia como escolha de tema para projetos apresentados em feiras de ciências

Postado as 17/09/2021 11:40:09

Por Lucas George Wendt

Os temas relacionados à Astronomia são reconhecidos como motivadores do interesse de crianças e jovens. Um estudo recente publicado pelas professoras Sônia Elisa Marchi Gonzatti e Andréia Spessatto De Maman, em parceria com a estudante de Engenharia Civil e ex-bolsista do projeto de extensão Planetário Univates, Dayene Borges Guarienti, buscou analisar a prevalência do tema e de assuntos relacionados a ele em projetos apresentados em feiras de ciências, nas edições de 2011 a 2019.

A pesquisa foi realizada no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas (PPGECE) da Univates e publicada na Revista Latino-Americana de Educação em Astronomia. 

 

Ana Amélia Ritt

A partir da análise documental dos anais de nove edições de feiras de ciências promovidas pela Univates, as pesquisadoras mapearam conteúdos e possíveis abordagens interdisciplinares em pesquisas escolares que envolvem temas de Astronomia. A equipe analisou as feiras de ciências na perspectiva teórica, que as considera como um espaço de incentivo à iniciação e à educação científicas. 

Ao longo do estudo as pesquisadoras trabalharam com a premissa de que os contextos das feiras de ciências estão permeados de maior autonomia de escolha de temas de estudo do que habitualmente ocorre em contextos formais de ensino, como as salas de aula, por exemplo. Dessa forma, a maior ou menor presença de temáticas da Astronomia poderia favorecer práticas de ensino e pesquisa inspiradas na interdisciplinaridade. 

A análise documental realizada identificou 16 trabalhos, nos níveis de Ensino Fundamental ou Médio, ligados à Astronomia, com preferência dos estudantes que desenvolveram os projetos por temas associados à astronáutica e aos foguetes, seguidos de temas relacionados ao planeta Terra e à cosmologia. Quanto à interdisciplinaridade, identificaram-se diferentes níveis de integração, desde conexões internas nas temáticas pesquisadas até a integração de duas ou mais disciplinas escolares nas pesquisas desenvolvidas.

Ana Amélia Ritt

“Embora o número de trabalhos envolvendo Astronomia seja pequeno em comparação com o total de trabalhos ao longo da série histórica das nossas feiras – o que de alguma maneira reflete a falta de tradição de ensino dessa ciência no Brasil –, entende-se que o trabalho com projetos de iniciação científica nas escolas pode impulsionar o ensino de Astronomia”, argumenta a docente Sônia Gonzatti.  “Sobretudo, notou-se que essas pesquisas abriram espaço para temáticas que geralmente instigam estudantes e interessados em Astronomia, enriquecendo e extrapolando os temas tradicionais ensinados, como movimentos da Terra, fenômenos astronômicos e sistema solar”, explica Sonia. 

Essa abertura temática, de acordo com a literatura, é uma prerrogativa para avançar em direção a práticas multi ou interdisciplinares, o que também foi notado na análise dos trabalhos publicados. “Do contingente de trabalhos analisados, chamou a atenção que alguns deles foram desenvolvidos em parceria entre dois ou mais professores, de áreas de conhecimento distintas”, complementa Sônia. 

PPGECE com inscrições abertas

O PPGECE recebe inscrições até dia 8 de outubro e disponibiliza 10 vagas para o mestrado e 13 para o doutorado. O Mestrado e o Doutorado Profissionais em Ensino de Ciências Exatas da Univates pretendem formar profissionais multidisciplinares e que busquem inovar as práticas pedagógicas por meio de tecnologias e novos olhares sobre a educação.