Utilizamos cookies neste site. Alguns são utilizados para melhorar sua experiência, outros para propósitos estatísticos, ou, ainda, para avaliar a eficácia promocional do nosso site e para oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações sobre os cookies utilizados, consulte nossa Política de Privacidade.

No TCC, estudante do curso de Fotografia da Univates cria calendário para ajudar a Apante, de Teutônia

Postado as 01/12/2021 10:44:21

Por Lucas George Wendt

Divulgação/Acervo pessoal

A estudante do curso superior de tecnologia em Fotografia da Universidade do Vale do Taquari - Univates Laura Brönstrup, de Teutônia, ao finalizar o curso decidiu abordar em seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) o tema da adoção de animais.

Além de realizar ensaios fotográficos com animais da Associação Protetora dos Animais de Teutônia (Apante), a estudante também expandiu o trabalho elaborando e comercializando um calendário com as imagens, cujo valor da venda é revertido para a Associação. Interessados podem entrar em contato diretamente com Laura, pelo WhatsApp (51) 99716-5526. Com a venda dos calendários, a estudante espera reunir cerca de R$ 7,6 mil para serem doados à Apante. 

Laura lembra que a iniciativa de abordar o tema surgiu em uma conversa com a professora Renata Lohmann, que orientou o trabalho sobre fotografia pet. “Sempre me interessei em fazer fotos com animais, como sessões pets e até mesmo de famílias interagindo com seus pets. A professora Renata sugeriu fazer um calendário com fotos dos animais. Eu amei a ideia. Definido o tema, comecei a realizar o projeto no início do ano letivo de 2021, em fevereiro”, comenta. 

A estudante fotografou cerca de 30 cães e 20 gatos. Todas as fotos que fez, cerca de 200 no total, foram disponibilizadas à Apante para que possam ser usadas em propagandas em prol da adoção de animais.

Laura Brönstrup

Laura Brönstrup

Laura Brönstrup

Laura Brönstrup

Laura Brönstrup

“Ajudar os animais é de extrema importância para mim. Com a fotografia, pude registrar diversos cães e gatos que sofreram maus-tratos e/ou abandono. Esses registros, agora, podem ser mostrados à comunidade para que a população se comova e queira ajudar”, destaca a jovem, para quem a fotografia pode ser uma ferramenta de comoção das pessoas em torno desta causa e de outras. 

A estudante revela que, como iniciou o projeto no começo do ano, teve tempo para realizar as fotos, acompanhar os fiscais da Apante em visitas a casas que foram motivo de denúncias de maus-tratos, planejar detalhadamente o projeto – como seria a execução das imagens, quais as táticas para abordar os pets –, conhecer os animais carentes e poder, de alguma forma, contribuir para a causa. 

“O mais positivo e o que posso dizer com muito orgulho é que eu realmente realizei este projeto”, comemora Laura. Além de planejar como seria um trabalho desse tipo, a estudante de fato executou o seu planejamento e pôde dar vida a um calendário de 2022 com imagens de animais da Apante. “Acho injusto, tanto para a associação quanto para o próprio TCC, ter um projeto deste porte pronto e não ser executado”, defende. Na opinião de Laura, qualquer fundo que uma associação possa arrecadar é muito valioso. “Ainda mais quando se está lidando com vidas que foram abandonadas nas ruas ou sofrem maus-tratos dos tutores”. 

Dentre as surpresas que o trabalho proporcionou, uma delas chama a atenção da estudante. “A comunidade, mesmo parte dela ajudando e batalhando em prol da causa animal, ainda não ajuda essas associações”. Para a jovem, mesmo que não afete todas as pessoas de forma direta, a saúde da sociedade como um todo é abalada quando animais são abandonados – o que tem um impacto maior ainda nas condições de bem-estar dos próprios pets. “Estes, além de transmitirem doenças a pessoas e outros animais, podem causar acidentes de trânsito, atacar pessoas e animais na rua, além de não contribuírem positivamente para a imagem do município”, descreve, elencando razões para o maior engajamento de toda a comunidade na causa do bem-estar animal. 

“Além dos registros, pude aprender muito sobre o comportamento dos animais na fotografia”, ressalta a estudante. “Convivo com cães e gatos, e cada um é muito diferente. Os animais abandonados que estão à procura de um lar têm uma carência enorme por carinho e contato com o ser humano, então foi um grande desafio fotografá-los”, recorda. Além do planejamento e da captação das imagens, a estudante também buscou patrocínios, fez o planejamento de mídia, a montagem dos calendários e anúncios. “Com certeza este é o primeiro projeto de muitos outros que virão em prol da causa animal”, projeta Laura. 





O calendário tem o patrocínio da Languiru Agropecuária, Espaço Pet, Ótica Wilson, Certel Energia, Vanille Doces Afetivos, Lar Arquitetura, Singular Fotografia e Colégio Teutônia.