Utilizamos cookies neste site. Alguns são utilizados para melhorar sua experiência, outros para propósitos estatísticos, ou, ainda, para avaliar a eficácia promocional do nosso site e para oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações sobre os cookies utilizados, consulte nossa Política de Privacidade.

Nicole Morás

Mais de 200 dissertações de mestrado já foram defendidas no PPGECE da Univates

Postado as 06/09/2022 10:59:59

Por Lucas George Wendt

Fique por dentro de tudo o que acontece na Univates, clique nos links a seguir e receba semanalmente as notícias diretamente no seu WhatsApp ou no Telegram

Em 2022 o Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas (PPGECE) da Universidade do Vale do Taquari - Univates completa 15 anos de existência. Ao longo desse tempo, cerca de 200 dissertações já foram defendidas no Programa. O mestrado foi instituído em 2007. O doutorado iniciou suas atividades em 2020. 

Os quatro projetos de pesquisa relacionados ao PPGECE no último quadriênio são considerados a sustentação das propostas de dissertações, teses, produtos educacionais e da publicação científica divulgada em periódicos. Os projetos primam pela interdisciplinaridade fundamentada na formação diversificada da equipe do programa, proveniente de diferentes campos disciplinares. 

Nicole Morás

Para o professor Ítalo Gabriel Neide, coordenador do Programa, ensinar ciências, como física, química e matemática têm particularidades que devem ser respeitadas. Segundo ele, “os processos de ensino e de aprendizagem para as ciências são distintos e têm que ser desenvolvidos com a devida metodologia. Uma das características mais importantes no desenvolvimento do indivíduo como ser social é a alfabetização científica, que, quando feita de forma crítica, acaba impactando significativamente a sua vida. Atualmente vivemos um tempo de pós-verdade e descrédito nas ciências. Cabe a nós enfrentar essa questão”. Por meio de um programa como o PPGECE é possível que professores se instrumentalizem ainda mais para dar conta do desafio. 

O docente comemora o número de 200 dissertações. “Além da qualificação dos docentes de ciências nas regiões de onde são os estudantes, vale ressaltar o processo de pesquisa desenvolvido e socializado no mundo acadêmico. Temos a peculiaridade de ofertar o curso no modo intensivo nos meses de janeiro e julho, possibilitando assim que alunos de todo o Brasil possam cursar o PPG. Consequentemente nossa sala de aula é plural, pois sempre temos alunos de vários estados diferentes”.  

Professor Italo Gabriel Neide - Crédito - Nicole Morás

O professor descreve que, dessa forma, a Univates está contribuindo com o sistema educacional de todas as regiões do Brasil. Os trabalhos acadêmicos do PPGECE geram um Produto Educacional, que também é socializado no intuito de contribuir com outros professores na sua prática docente. “Certamente a expressão desse número indica um corpo docente qualificado, experiente e produtivo, sendo que alunos de todas regiões do Brasil vêm procurar nosso programa porque confiam no trabalho realizado, atestando a nota 5 obtida na última avaliação quadrienal da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior”, indica Neide. 

“O desenvolvimento de uma alfabetização científica de forma crítica possibilita que os alunos possam compreender melhor os fenômenos da natureza e que consigam aplicar, por exemplo, a matemática em situações reais. Uma outra consequência importante é transladar esses saberes para a sua vida social e alcançar condições mais elaboradas de raciocínios para enfrentar questões de outras esferas, promovendo a criticidade e evitando a alienação”, acrescenta o pesquisador. 

“O nosso PPG tem uma particularidade de ser um programa profissional. Dessa forma, nossas pesquisas são realizadas por meio da análise de uma intervenção realizada por um professor atuando com alunos, principalmente em escolas. Essa intervenção é mediada pelo Produto Educacional desenvolvido pelos discentes do programa, e geralmente tem o objetivo de ensinar algum conteúdo científico ou de matemática. Sempre tivemos um feedback favorável das nossas investigações.Tanto os gestores como os alunos das escolas reconhecem a pertinência e a seriedade com que são desenvolvidas nossas pesquisas. Em muitos casos existe também o envolvimento da família do aluno, em que são valorizadas as ações familiares, de forma que toda família participa da construção do conhecimento”, complementa.   

Divulgação/Acervo pessoal

 

Do outro lado do Brasil

A mestra pelo Programa Nayara França Alves, atualmente doutoranda no PPGECE, afirma que escolheu o PPGECE por suas linhas de pesquisa e pelo acentuado índice de desenvolvimento de pesquisas voltadas para o ensino de Ciências no Brasil. Observa que, embora a Univates esteja localizada em Lajeado, os alunos deste Programa são oriundos de muitas regiões. Nayara atua em Macapá, no Amapá, no Instituto Federal do Amapá (Ifap). 

Ela é uma das duzentas pessoas que já foi titulada mestre pelo PPGECE da Univates nestes 15 anos de pesquisas. “Além disso, os professores do PPGECE estão sempre se atualizando e implementando temáticas atuais no desenvolvimento de novas pesquisas em seus próprios grupos de pesquisa ou em pesquisas realizadas pelos orientandos. Assim acredito que seja uma atuação inovadora, intensa e atualizada”. 

Por ser docente de Física, no mestrado ela observa que aprendeu técnicas de ensino, inclusão de recursos didáticos diferenciados, assim como desenvolveu atividades investigativas, fazendo com que os alunos se tornassem mais ativos nos processos de ensino e de aprendizagem. “Com o doutorado, acredito que todos os conhecimentos iniciados no mestrado sofreram aprimoramentos que refletem no desenvolvimento da minha prática docente e pessoal”, explica ela. 

Seus estudos no PPGECE envolvem pesquisa qualitativa desenvolvida com alunos do terceiro semestre do curso de Licenciatura em Física. Ela desenvolve atividades experimentais integradas às simulações computacionais voltadas para a construção de conhecimentos em Óptica Geométrica. 

Tuane Eggers

Estrutura do PPGECE

Para receber os títulos, além de outros requisitos legais, os candidatos a mestres e doutores matriculados no PPGECE devem apresentar suas pesquisas desenvolvidas ao longo do mestrado, que dura cerca de dois anos, e do doutorado, com cerca de quatro anos de duração. 

Os trabalhos devem estar alinhados com a área de concentração e, consequentemente, com as linhas de pesquisa do programa: formação de professores; processos de avaliação para o ensino de ciências; metodologias de ensino e de aprendizagem; e recursos tecnológicos nos processos de ensino e de aprendizagem.  

O cotidiano acadêmico de um Programa de Pós-Graduação acontece nos grupos de pesquisa, que, por sua vez, realizam projetos de pesquisa - nos quais efetivamente atuam os mestrandos, doutorandos e professores pesquisadores. O PPGECE conta com um número alto de discentes vindos de regiões afastadas dos grandes centros urbanos do Brasil, de forma que os temas de pesquisa convirjam para as anál

Logo ods