Estrutura Curricular

Disciplinas Obrigatórias

Processos de Ensino e de Aprendizagem
CH: 60h/a
EMENTA:
Estudo das teorias que fundamentam os processos de ensino e de aprendizagem em diferentes tempos, dimensões e espaços. Relações entre as diferentes concepções epistemológicas com as práticas pedagógicas. Novas formas de conhecer e as políticas da cognição.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
CORAZZA, Sandra. Uma vida de professora. Ijuí: Ed. Unijuí, 2005.
KASTRUP, Virgínia. Políticas da cognição. Porto Alegre: Sulina, 2009.
MOREIRA, Marco Antônio. Teorias de aprendizagem. São Paulo: EPU, 2011.

- Complementar:
DELEUZE, Gilles e GUATTARI, Félix. O que é a filosofia? São Paulo: Ed. 34, 1992.
LEVY, Pierre. As tecnologias da inteligencia. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993
MATURANA, Humberto. Emoções e linguagem na educação e na política. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001.
MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, 2001.
RANCIÉRE, Jacques. O mestre ignorante: cinco lições sobre a emancipação intelectual. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.
Pesquisa em Ensino
CH: 60h/a
EMENTA:
Diferentes olhares do pesquisador na investigação. Estudo teórico-metodológico de aspectos básicos do processo de pesquisa e da ciência. O ensino como espaço de pesquisa. Aspectos formais na elaboração e apresentação de trabalhos científicos. Exigências éticas e posturas do pesquisador.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. TRIVINOS, A;N.S. Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 2015.
2. GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.
3. DEMO, Pedro. Pesquisa: princípio científico e educativo. São Paulo: Cortez, 2006.

- Complementar:
1. ECO, Umberto. Como se faz uma tese. São Paulo: Perspectiva, 2002.
2. LUCKESI, Cipriano; BARRETO, Eloi; COSMA, José. Fazer universidade: uma proposta metodológica. São Paulo: Cortez, 2003.
3. POUPART, Jean et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2008.
4. VEIGA-NETO, Alfredo; LARROSA, Jorge; GRUN, Mauro. Caminhos investigativos: novos olhares na pesquisa em educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.
5. CHEMIN, Beatris Francisca. Manual da Univates para trabalhos acadêmicos. Lajeado: Univates, 305 p, 2015. Disponível em www.univates.br/files/files/univates/manual/Manual_completo.pdf

Fundamentos de Alfabetização Científica e Tecnológica
CH: 30h/a
EMENTA:
Questões e desafios para o ensino como crítica ao cientificismo que perpassa a sociedade e as escolas. Reflexões sobre alfabetização científica e tecnológica. O impacto da tecnologia na Educação. Relações entre tecnologia, ciência e cultura. A história da ciência e da tecnologia e a transposição para problemas contextualizados.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. CHASSOT, Attico. Alfabetizacao cientifica: questões e desafios para a educação. Ijui: UNIJUI, 2003.
2. DEMO, P. Educação e Alfabetização científica. Papirus, 2010.
3. GRINSPUN, M. P. S. Z. (Org.). Educação tecnológica: desafios e perspectivas. São Paulo: Cortez, 1999. p. 25-73.

- Complementar:
1. SANTOS, W. L. P. dos. Educação científica na perspectiva de letramento como prática social: funções, princípios e desafios. Revista Brasileira de Educação. v. 12, n. 36 set./dez. 2007.
2. AULER, D. Alfabetização científico-tecnológica: um novo “paradigma”? ENSAIO – Pesquisa em Educação em Ciências, v. 5, n.1, 2003.
3. BISPO FILHO, D. O.; MACIEL, M. D.; SEPINI, R. P.; ALONSO, A. V. Alfabetização científica sob o enfoque da ciência, tecnologia e sociedade: implicações para a formação inicial e continuada de professores. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias. v. 12, n. 2, 2013.
4. SANTOS, W. L. P. Educação científica na perspectiva de letramento como prática social: funções, princípios e desafios. Revista Brasileira de Educação. v. 12, n. 36, 2007.
5. SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. de. 2011. Alfabetização científica e tecnológica: uma revisão bibliográfica. Investigações em Ensino de Ciências. v. 16(1): 59-77, 2011.

Educação e Contemporaneidade
CH: 30h/a
EMENTA:
Educação e a maquinaria escolar; a crise da escola moderna; os desafios da escola contemporânea e a formação docente na sociedade pedagógica.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. COSTA, Marisa Vorraber (org.) A escola tem futuro? Rio de Janeiro: Lamparina, 2007.
2. FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1997.
3. LARROSA, Jorge; VEIGA-NETO, Alfredo. Pedagogia profana. Belo Horizonte: Autentica, 2000.

- Complementar:
1. BAUMAN, Zygmunt. Modernidade liquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.
2. COSTA, Marisa Vorraber (Org). A educação na cultura da mídia e do consumo. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009.
3. FOUCAULT, Michel. Microfisica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 2002.
4. LARROSA, Jorge Linguagem e educação depois de Babel. Belo Horizonte: Autentica, 2004.
5. MOREIRA, Antonio Flavio Moreira; SILVA, Tomaz Tadeu da. Currículo, cultura e sociedade. São Paulo: Cortez, 2000.

Estratégias de Ensino I
CH: 30h/a
EMENTA:
Organização e planejamento do trabalho pedagógico. Metodologias didáticas na docência no ensino superior. Recursos para o ensino. Relação pedagógica e mediação docente.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. GIL, Antonio Carlos. Didática do ensino superior. São Paulo: Atlas, 2006.
2. LOWMAN, Joseph. Dominando as técnicas de ensino. São Paulo: Atlas, 2004.
3. ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 2010.

- Complementar:
1. COWAN, John. Como ser um professor universitario inovador: reflexão na ação. Porto Alegre: Artmed, 2002.
2. MORETTO, Vasco Pedro. Planejamento: planejando a educação para o desenvolvimento de competências. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.
3. NÓVOA, Antônio. (org.) As organizações escolares em análise. Portugal: Publicações D. Quixote, 1995.
4. VEIGA, Ilma Passos Alencastro. (Org.). Projeto Político Pedagógico da escola: uma construção possível.15. ed. Campinas: Papirus, 2002. 192p. (Coleção Magistério: formação e trabalho pedagógico).
5. ZABALA, Antoni. Como aprender e ensinar competências. Porto Alegre: Artmed, 2010.

Estratégias de Ensino II (nível Doutorado)
CH: 30h/a
EMENTA:
Elaboração, implementação e avaliação do uso de diferentes estratégias de ensino e/ou recursos tecnológicos na prática pedagógica. Investigação de diferentes formas de integrar atividades no contexto de sala de aula.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. GIL, Antonio Carlos. Didática do ensino superior. São Paulo: Atlas, 2006.
2. LOWMAN, Joseph. Dominando as técnicas de ensino. São Paulo: Atlas, 2004.
3. ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 2010.

- Complementar:
1. COWAN, John. Como ser um professor universitario inovador: reflexão na ação. Porto Alegre: Artmed, 2002.
2. GIL, Antonio Carlos. Metodologia do ensino superior. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2011.
3. MORETTO, Vasco Pedro. Planejamento: planejando a educação para o desenvolvimento de competências. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.
4. NÓVOA, Antônio. (org.) As organizações escolares em análise. Portugal: Publicações D. Quixote, 1995.
5. SVINICKI, Marilla; MCKEACHIE, Wilbert J. Dicas de ensino: estratégias, pesquisa e teoria para professores universitários. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

Seminário Integrado em Ensino (nível Doutorado)
CH: 30h/a
EMENTA:
As temáticas de pesquisa desenvolvidas pelos discentes e sua relação com a Área de Concentração e Linhas de Pesquisa do Programa (seminários individuais apresentados pelos discentes). Reflexão conjunta sobre o andamento dos projetos de tese com ênfase na fundamentação teórica, metodologia empregada e resultados esperados.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica e Complementar
Publicações diversas das áreas de interesse dos docentes e discentes do Programa.


Disciplinas Eletivas

Ambientes Virtuais e Educação a Distância
CH: 30h/a
EMENTA:
Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA) e Educação a Distância (EaD): Histórico, modalidades e possibilidades. Ferramentas de comunicação e interação em ambientes virtuais de aprendizagem. Construção e aplicação de recursos pedagógicos específicos para esses ambientes. A mediação pedagógica e organização de situações de aprendizagem na modalidade EaD. Requisitos educacionais e tecnológicos para a EaD. Gestão em EaD.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. MAIA, Carmem; MATTAR, João. ABC da EaD: a educação a distância hoje. São Paulo: Pearson, 2011.
2. MATTAR, J. Games em Educação como os nativos digitais aprendem. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.
3. MORAN, José Manuel. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas, SP: Papirus, [2009].

- Complementar:
1. CARVALHO, F. C. A. de, IVANOFF, G. B. Tecnologias que educam. Ensinar e aprender com tecnologias de informação e comunicação. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2010.
2. PALLOF, R. M.; PRATT, K. O Aluno Virtual um guia para trabalhar com estudantes on-line Porto Alegre: Artmed, 2004.
3. POZO, Juan Ignacio. Aprendizes e mestres: a nova cultura da aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2002.
4. PRIMO, Alex. Interação mediada por computador: comunicação, cibercultura, cognição. Porto Alegre: Sulina, 2007.
5. VALENTINI, C. B.; SOARES, E. M. S. do (org) Aprendizagem em ambientes virtuais compartilhando ideias e construindo cenários. Caxias do Sul: Educs, 2005.

Currículo, Interdisciplinaridade e Transversalidade
CH: 30h/a
EMENTA:
A disciplinarização e a episteme moderna; disciplinarização, saber e poder; os princípios da interdisciplinaridade e da transversalidade. Estudo de práticas curriculares produzidas nas escolas contemporâneas.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: história da violência nas prisões. Petrópolis: Vozes, 1991.
2. JAPIASSU, Hilton. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago, 1976.
3. FAZENDA, Ivani C. A. (org.) O que é interdisciplinaridade?. São Paulo: Cortez, 2008.

- Complementar:
1. FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1987.
2. JAPIASSU, Hilton. Introdução ao Pensamento Epistemológico. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1988.
3. LÉVY, Pierre e AUTHIER, Michel. As árvores de conhecimento. SP: Escuta, 1995.
4. CORAZZA, Sandra; TADEU, Tomaz. Composições. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.
5. GALLO, Silvio. Transversalidade e educação: pensando uma educação não-disciplinar. In: ALVES, Nilda; GARCIA, Regina Leite (orgs.). O sentido da escola. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

Discursos sobre Inclusão e Práticas de Governamentalidade
CH: 30h/a
EMENTA:
Invenção do sujeito moderno e produção de identidades e/ou corpos "saudáveis". Representações sobre a diferença; os discursos de inclusão e as práticas de governamentalidade. Diferenças na escola; a escola inclusiva e o currículo.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. FOUCAULT, Michel. Os Anormais. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2002.
2. RAGO, Margareth, ORLANDI, Luiz B. e VEIGA-NETO, Alfredo (orgs.) Imagens de Foucault e Deleuze. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.
3. FONSECA, Márcio Alves. Michel Foucault e a constituição do sujeito. São Paulo: EDUC, 2011.

- Complementar:
1. BATISTA, Claudio e JESUS, Denise Meyrelles de. Avanços em políticas de inclusão: o contexto da Educação Especial no Brasil e em outros países. Porto Alegre: Mediação, 2009.
2. BERGÈS, Jean; BERGÈS-BOUNES, Marika; CALMETTES-JEAN, Sandrine. O que aprendemos com as crianças que não aprendem? Porto Alegre: CMC, 2008.
3. LOPES, Maura C. e HATTGE, Morgana D. Inclusão escolar: conjunto de práticas que governam. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.
4. LARROSSA, J., SKLIAR, C. (orgs.) Habitantes de Babel: políticas e poéticas da diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.
5. FABRIS, E.T. H.; KLEIN, R.R. Inclusão e biopolítica. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

Ética e Ensino na Contemporaneidade
CH: 30h/a
EMENTA:
Fundamentos da ética. Axiologia e a ação educativa. Ética e compromisso para o contexto atual, liberdade e educação. Deontologia na educação. Educação à Distância com ética.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
SANCHEZ, Adolfo. Ética . Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.
NALINI, José Renato. Ética geral e profissional. 7. ed. 2011.
OLIVERIA, Manfredo A. de (Org). Correntes fundamentais da ética contemporânea. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

- Complementar:
1. BOFF, Leonardo. Saber cuidar: ética do humano; compaixão pela terra. Petrópolis: Vozes, 2000.
2. APAP, Georges et al. A construção dos saberes e da cidadania: da escola à cidade. Ed. Artmed. 1. ed. 2002.
3. SÁ, Antônio Lopes de. Ética profissional. 2001.
4. SOUZA, Ricardo Timm de. Ética como fundamento: Uma introdução à Ética Contemporânea. São Leopoldo: Nova Harmonia, 2004.
5. WEBER, Max. A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo. São Paulo: Cengage Learning, 2008.
Experimentos para o Ensino
CH: 30h/a
EMENTA:
Seleção e construção de experimentos para o desenvolvimento conceitual de temáticas relacionadas ao Ensino pela utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
Padrões de competências em TIC para professores. UNESCO, 2009. Disponível em: www.unesco.org/en/competency-standards-teachers.
Wilson, Carolyn; Ramon, Grizzele, Alton; Tuazon, Ramon; Akyempong, Kwame; Cheung, Chi-Kim.Alfabetização midiática e informacional. Currículo para formação de professores. UNESCO, 2013.
Johnson, L., Adams Becker, S., Estrada, V., y Martín, S (2013). Perspectiva Tecnológica para la Educación STEM+ 2013-2018: Análisis Sectorial Proyecto Horizon NMC. Austin, Texas: The New Media Consortium.

- Complementar:
Papert, Seymour. A máquina das crianças - repensando a escola na era da informática. Porto Alegre: Artes Médicas, 2008.
Giordan, Marcelo. Computadores e linguagens nas aulas de ciências. Ijuí: Unijuí, 2008.
Fagundes, Léa; Sato, Luciane S.; Maçada, Débora L. Aprendizes do futuro: as inovações começaram. Coleção informática para a mudança na educação. SEaD - MEC, 2006.
Eichler, Marcelo Leandro; Del Pino, José Claudio. Ambientes virtuais de aprendizagem. Porto Alegre: UFRGS, 2006.
Johnson, L., Adams Becker, S., Cummins, M., Estrada, V., and Meira, Adeline (2012). Perspectivas tecnológicas para o ensino fundamental e Médio Brasileiro de 2012 a 2017 : Uma análise regional por NMC Horizon Project. Austin, Texas: The New Media Consortium.

Filosofia da Ciência
CH: 30h/a
EMENTA:
Descoberta do método. A perspectiva sistêmica. O pensamento complexo. As implicações das concepções sobre a natureza da ciência no ensino. Método e conhecimento verdadeiro.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
CAPRA, F. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. 17ª Edição. Porto Alegre: Editora Novo Ambiente, 2012.
DESCARTES, René. Discurso do Método. São Paulo: Abril Cultural, 1979.
MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2011 4ª edição.

- Complementar:
CAPRA. F. Ponto de mutação. São Paulo: Editora Cultrix, 2012.
DIAMOND, J. Colapso: como as sociedades escolhem o fracasso ou o sucesso. Rio de Janeiro: Editora Record, 2007.
KUHN, T. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Editora Perspectiva, 2007.
MORIN, E. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 2010.
POPPER, K.R. A Lógica da Pesquisa Científica.São Paulo: Cultrix, 2007.

Formação de Professores: Tendências dos Estudos e Trabalho Docente
CH: 30h/a
EMENTA:
Tendências na formação de professores. Implicações e relações com a organização do trabalho docente. Formação inicial e continuada. Redes, coletivos e outras formas de organização e autoformação de professores.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. ANDRÉ, Marli (Org). O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. Campinas, SP: Papirus, 2011.
2. CORTELLETTI, Ivonne Assunta; RIBEIRO, Liane Beatriz Moretto; STEDILE, Nilva Lucia Rech. Reflexão sobre a ação: uma estratégia de formação de professores em nível superior de ensino. Caxias do Sul: Educs, 2002.
3. TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis: Vozes, 2011.

- Complementar:
1. CALDERANO, Maria da Assunção; MARQUES, Gláucia F. C.; MARTINS, Elita Bettania (Orgs). Formação continuada e pesquisa colaborativa: tecendo relações entre universidade e escola. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2013.
2. IMBERNÓN, Francisco. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.
3. MENDES SOBRINHO, José Augusto de Carvalho; CARVALHO, Marlene Araújo de. Formação de professores e práticas docentes: olhares contemporâneos. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.
4. SANTOS, Lúcia de Fátima; SILVA, Sandra Regina Paz da; LUIS, Suzana Maria Barrios (Orgs). Universidade e escola: diálogos sobre formação docente. Recife: UFPE, 2012.
5. TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude; MAGALHÃES, Lucy de. O ofício de professor: história, perspectivas e desafios internacionais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

Fundamentos de Epistemologia para o Ensino
CH: 30h/a
EMENTA:
A descoberta da subjetividade no Renascimento. O iluminismo e o sujeito na investigação. O pensar na tradição ocidental. Os problemas da fundamentação. Bases epistemológicas e problematizações do Ensino na contemporaneidade.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
MOREIRA, M. A.; MASSONI, N. T. Epistemologias de Século XX. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária, 2011.
SANTOS, Boaventura de Sousa. Um discurso sobre as ciencias. São Paulo: Cortez, 2009.

- Complementar:
FUGANTI, Luis. Saúde, desejo e pensamento. São Paulo: Hucitec, 2008.
GARCIA, J. e SERRES, M. Historia de las ciencias. Madrid: Ed. Catedra, 1991.
JAPIASSU, Hilton. Nascimento e morte das ciências humanas. Rio de Janeiro: F. Alves, 1978.
LATOUR. Bruno. A esperança de Pandora: ensaios sobre a realidade dos estudos científicos. São Paulo: EDUSC, 2001.
SERRES, Michel. Diálogos sobre a ciência, a cultura e o tempo.Lisboa: Instituto Jean Piaget, 1997.

Gestão no Ensino
CH: 30h/a
EMENTA:
O gestor no cotidiano das instituições de ensino: função, objetivos e atribuições. Empreendedorismo no ensino.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. HENGEMÜHLE, Adelar. Gestão do ensino e práticas pedagógicas. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2008.
2 LOPES, Rose Mary A. (Org). Educação empreendedora: conceitos, modelos e práticas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.
3. LÜCK, Heloísa; FREITAS, Kátia Siqueira de; GIRLING, Robert; KEITH, Sherry. A escola participativa: o trabalho do gestor escolar. Petrópolis: Vozes, 2011.

- Complementar:
1. BURBULES, Nicholas; TORRES, Carlos Alberto. Globalização e Educação: perspectivas críticas. Tradução de Ronaldo Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 11-26.
2. FERREIRA, Naura Syria Capareto; AGUIAR, Márcia Angela da S. (Orgs.). Gestão da educação: impasses, perspectivas e compromissos. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2004.
3. LÜCK, Heloísa. Liderança em gestão escolar. Petrópolis: Vozes, 2008.
4. PERONI, Vera Maria Vidal. Política educacional e papel do Estado: no Brasil dos anos 1990. São Paulo: Xamã, 2003.
5. SANTOS, Clóvis Roberto dos. O gestor educacional de uma escola em mudança. São Paulo: Pioneira, 2002.

Metodologias Ativas no Ensino
CH: 30h/a
EMENTA:
Estudo e discussão das principais características das metodologias ativas com vistas à potencialização do agir docente, buscando a qualificação dos processos de ensino e de aprendizagem. Detalhamento da Metodologia da Problematização, da Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL), da Aprendizagem por Projetos, entre outras.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. M., CHRISTENSEN, Clayton, HORN, Michael B., and JOHNSON, Curtis W..Inovação na Sala de Aula: Como a Inovação Disruptiva Muda a Forma de Aprender, 2ª edição. Bookman, 2012. VitalBook file.
2. ARAÚJO, U.F.; SASTRE, G. (orgs.) Aprendizagem baseada em problemas no ensino superior. São Paulo: Summus, 2009.
3. MOREIRA, Marco Antonio. Aprendizagem significativa: a teoria e textos complementares. São Paulo: Livraria da Física, 2011.

- Complementar:
1. ALARCÃO, Isabel.Professores reflexivos em uma escola reflexiva. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2008.
2. CUNHA, M. I. et al. Inovações pedagógicas na formação inicial de professores. In: FERNANDES, C. M. B.; GRILLO, M. (Orgs.). Educação Superior: travessias e atravessamentos. Canoas: Editora da ULBRA, 2001. p. 33-90.
3. DÍAZ BORDENAVE, Juan; PEREIRA, Adair Martins. Estrategias de ensino-aprendizagem. 25. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.
4. DOHME, V. Atividades lúdicas na Educação. 6 ed. Petrópolis: Vozes, 2011.
5. FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 31. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.
6. RIBEIRO, Luis Roberto de C. Aprendizagem baseada em problemas (PBL): uma experiência no ensino superior. São Carlos: EdUFSCar, 2010.

Políticas Públicas Educacionais
CH: 30h/a
EMENTA:
As fontes da política educacional: a legislação educacional; compromissos internacionais; planos governamentais e de educação. Contexto das políticas públicas da educação básica ao ensino superior. A educação para o século XXI: tendências, desafios e metas para a Educação Superior, Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. COLOMBO, Sonia Simões et al. Desafios da gestão universitária contemporânea. Porto Alegre: Artmed, 2011.
2. BRUEL, A. L. de O. Políticas e legislação da educação básica no Brasil. Curitiba: IBPEX, 2010.
3. FREITAS, D.N.T. A avaliação da educação básica no Brasil: dimensão normativa, pedagógica e educativa. Campinas, SP: Autores Associados, 2007.

- Complementar:
1. CAMARGO, Ieda. Gestão e políticas da educação. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2006.
2. BRASIL. Plano Nacional de Educação.
3. ARANHA, J. A. S. Interfaces: a chave para compreender as pessoas e suas relações em um ambiente de inovação/José Alberto Sampaio Aranha. - São Paulo: Saraiva, 370p, 2009.
4. BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. BRASIL. Plano Nacional de Pós-Graduação – PNPG 2011-2020/Coordenação de Pessoal de Nível Superior. - Brasília, DF: CAPES, 2010, volume 1, 309p.
5- ARAÚJO, Claisy Maria Marinho; POLIDORI, Marlis Morosini (Orgs). Análise dos sistemas de educação superior no Brasil e em Portugal: o que apontam as políticas educacionais. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2012.

Processos de Aprendizagem em Espaços Não Formais
CH: 30h/a
EMENTA:
Investigação de espaços educativos formais e não formais. A construção do conceito de educação não formal. Processos de ensino e de aprendizagem em espaços não formais. Problematização de iniciativas comunitárias e interfaces com a educação. Constituição de novos territórios em educação. Prática em aprendizagem em espaços não formais.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. GOHN, Maria da Gloria. Movimentos sociais e educação. São Paulo: Cortez, 2005.
2. VERCELLI, Lígia A. (org). Educação não formal – campos de atuação. Jundiaí: Paco Editorial, 2013.
3. SANTOS, B. S. A crítica da razão indolente. Contra o desperdício da experiência. São Paulo: Cortez, 2000.

- Complementar:
1. BAUMAN, Z. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Cambridge: Polity, 2003.
2. PRESS, F.; SIEVER, R.; GROTZINGER, J.; JORDAN, T., H., Understanding Earth. 4. edition, W. H. Freeman and Company, New York. 2004.
3. ROLNIK, Suely. Cartografia sentimental: transformações contemporâneas do desejo. São Paulo: Estação Liberdade, 1989.
4. CORRÊA, Guilherme, PREVE, Ana Maria H. A educação e a maquinaria escolar: produção de subjetividades, biopolítica e fugas. REU, Sorocaba, SP, v.37, n.2, p.181-202, dez/2011
5. DUARTE JR, João-Francisco. O sentido dos sentidos: a educação (do) sensível. Curitiba, PR: Criar Edições, 2004.

Processos de Avaliação
CH: 30h/a
EMENTA:
Conceitos, funções e significados da avaliação. Estudo dos processos de avaliação. Avaliação em diferentes dimensões. Autoavaliação.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. DILIGENTE, Marcos Pereira. Avaliação participativa no ensino superior e profissionalizante. Porto Alegre: Mediação, 2003.
2. FERREIRA, Lucinete Maria Sousa. Retratos da avaliação: conflitos, desvirtuamentos e caminhos para a superação. Porto Alegre: Mediação, 2009.
3. HADJI, Charles; RAMOS, Patricia C. Avaliação desmistificada. Porto Alegre: Artmed, 2001.

- Complementar:
1. ANTUNES, Celso. A avaliação da aprendizagem escolar. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.
2. BALLESTER, Margarita. Avaliação como apoio à aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2003.
3. ESTEBAN, Maria Teresa. Escola, currículo e avaliação. São Paulo: Cortez, 2003.
4. SCHILLING, Claudia; MURAD, Fatima (Trads). As competências para ensinar no século XXI: a formação dos professores e o desafio da avaliação. Porto Alegre: Artmed, 2008.
5. VILLAS BOAS, Benigna Maria de Freitas. Portfólio, avaliação e trabalho pedagógico. Campinas: Papirus, 2010.

Recursos Tecnológicos para o Ensino
CH: 30h/a
EMENTA:
Uso de tecnologias de informação: análise crítica de materiais e recursos disponibilizados na rede. O uso didático da internet. Exploração de softwares e aplicativos voltados para o ensino. Seleção e construção de experimentos para o desenvolvimento conceitual de temáticas relacionadas ao ensino pela utilização das tecnologias.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. Padrões de competências em TIC para professores. UNESCO, 2009. Disponível em: www.unesco.org/en/competency-standards-teachers
2. Johnson, L., Adams Becker, S., Estrada, V., y Martín, S. (2013). Perspectiva tecnológica para la educación STEM+ 2013-2018: Análisis Sectorial Proyecto Horizon NMC. Austin, Texas: The New Media Consortium.
3. Wilson, Carolyn; Ramon, Grizzele Alton; Tuazon, Ramon; Akyempong, Kwame; Cheung, Chi-Kim. Alfabetização midiática e informacional. Currículo para formação de professores. UNESCO, 2013.

- Complementar:
1. Alava, Séraphin (org). Ciberespaço e formações abertas: rumo a novas práticas educacionais? Porto Alegre: Artmed, 2002.
2. Giordan, Marcelo. Computadores e linguagens nas aulas de ciências. Ijuí: Unijuí, 2008.
3. Johnson, L., Adams Becker, S., Cummins, M., Estrada, V., and Meira, Adeline. (2012). Perspectivas tecnológicas para o ensino fundamental e médio brasileiro de 2012 a 2017: Uma análise regional por NMC Horizon Project. Austin, Texas: The New Media Consortium.
4. Lévy, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed 34, 2010.
5. Papert, Seymour. A máquina das crianças - repensando a escola na era da informática. Porto Alegre: Artes Médicas, 2008.

Sujeito, Ensino e Currículo
CH: 30h/a
EMENTA:
Estudo das teorias tradicionais, críticas e pós-críticas em Educação e currículo; a árvore dos saberes e o rizoma; currículo, poder e subjetividade; imagens do currículo e tempos da educação: currículos-mapa, currículos-rizoma ou o pós-currículo.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. COMENIUS, Jan Amos. Didática Magna. São Paulo: Martins Fontes, 2011.
2. CORAZZA, Sandra; TADEU, Tomaz. Composições. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.
3. SILVA, Tomaz Tadeu. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

- Complementar:
1. CORAZZA, Sandra. O que quer um currículo? Pesquisas pós-críticas em educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.
2. GALLO, Silvio. Deleuze e a educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.
3. GONSALVES, Elisa P., PEREIRA, Maria Z. e CARVALHO, Maria E. (orgs.) Currículo e contemporaneidade: questões emergentes. São Paulo: Alínea, 2011.
4. LOPES, Alice Ribeiro Casimiro; MACEDO, Elizabeth Fernandes de; ALVES, Maria Palmira Carlos (Orgs). Cultura e política de currículo. Araraquara: Junqueira, 2006.
5. SILVA, Tomaz Tadeu da. O currículo como fetiche: a poética e a política do texto curricular. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

Tecnologias Digitais, Informação e Comunicação no Ensino
CH: 30h/a
EMENTA:
Evolução das tecnologias no Brasil. Políticas públicas de ciência e tecnologia e os softwares livres. Tecnologia, cultura e ciberespaço. Contexto contemporâneo e tendências no uso das tecnologias de ensino.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. LÉVY, Pierre. Cibercultura. 3e. São Paulo: Editora 34, 2011.
2. MORAN, J. M. et al. Novas Tecnologias e mediação pedagógica. Campinas, Papirus, 16a ed. 2009.
3. SANCHO, F. e Hernández, J. M. Tecnologias para transformar a Educação. Porto Alegre: Artmed, 2006.

- Complementar:
1. BIZ, Osvaldo; GUARESCHI, Pedrinho. Mídia, Educação e Cidadania, Editora Vozes, 2004.
2. BRIGGS, A. e BURKE, P. Uma História Social da Mídia: de Gutenberg `a Internet. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.
3. CARVALHO, F. C. A. E Ivanoff, G. B. Tecnologias que educam: Ensinar e aprender com as tecnologias de informação e comunicação. SP: Pearson Prentice Hall, 2010.
4. OLIVEIRA, R. de. Informática Educativa: dos planos e discursos à sala de aula. Campina, Sp: papirus. 15a ed. 2009.
5. VALENTE, J. A. MAZZONE, J. E BARANAUSKAS. M. C. (org.). Aprendizagem na era das tecnologias digitais. SP: Cortez: FAPESP, 2007.

Universidade e Educação Básica
CH: 30h/a
EMENTA:
Espaços de Integração entre Universidade, Escola e Sociedade. Indissociabilidade entre ensino, pesquisa, extensão.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. PACÍFICO, J.M; BUENO, J.L.P.;SOUZA, A.M.L. Formação docente na universidade em interface com a educação básica: ultrapassar limites, criar possibilidades. 1 edição, Florianópolis: Pandion, 2014, 200 p.
2. MORAN, José Manuel. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. 4. ed. Campinas: Papirus, 2009.
3. LÜDKE, Menga; CRUZ, Giseli Barreto da. Aproximando Universidade e Escola de Educação Básica pela pesquisa. Cadernos de Pesquisa, v. 35, n. 125, p. 81-109, maio/ago. 2005.

- Complementar:
1. EGGERT, Edla. Trajetórias e processos de ensinar e aprender: didática e formação de professores. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008.
2. MAGALHÃES, H. G. D. Indissociabilidade entre pesquisa, ensino e extensão: tensões e desafios. In: Educação Temática Digital. São Paulo, v. 8, n. 2, p. 168-175, 2007.
3. ROLDÃO, M. Formar para a excelência profissional — pressupostos e rupturas nos níveis iniciais da docência. Educação e Linguagem, ano 10, v. 1, n. 15, p.18-42, 2007.
4. SÍVERES, Luiz. A extensão como um princípio de aprendizagem. Revista Dialogos, v. 10, Brasília, Universidade Católica de Brasília, Dezembro de 2008.
5. CUNHA, Maria Isabel. Pedagogia Universitária: energias emancipatórias em tempos neoliberais. São Paulo: Junqueira&Marin, 2006.


Disciplinas Eletivas por Área do Conhecimento

Leitura, Escrita e Interpretação
CH: 60h/a
EMENTA:
Concepções de leitura: aspectos cognitivos da interpretação de textos. A leitura significativa. Condições de possibilidade da interpretação. O texto: mecanismos de coesão, coerência e a argumentatividade.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. FIORIN, José Luiz. Argumentação. São Paulo: Contexto, 2015.
2. GARCIA, Othon Moacyr. Comunicação em prosa moderna: aprenda a escrever, aprendendo a pensar. 27. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2014.
3. GADAMER, Hans-Georg. Verdade e Método. 10ª Ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

- Complementar:
1. COSSON, Rildo. Círculos de leitura e letramento literário. São Paulo: Contexto, 2014.
2. KOCH, Ingedore G. V. O texto e a construção dos sentidos. 9ª. ed, São Paulo: Contexto, 2007.
3. NEVES, Iara Conceicao Bitencourt et al. (Org.). Ler e escrever: compromisso de todas as áreas. 7. ed. Porto Alegre: UFRGS, 2006.
4. SNOWLING, Margaret J.; HULME, Charles (Orgs). A ciência da leitura. Porto Alegre: Penso, 2013.
5. SOUZA, Ricardo Timm de. Sobre a construção do sentido: o pensar e o agir entre a vida e a filosofia. São Paulo: Perspectiva, 2004.

Pedagogia, Arte e Docência
CH: 60h/a
EMENTA:
Encontros da Arte com a Pedagogia; o ensino em sua perspectiva ético-estético-política; a arte e a linguagem das sensações: afectos e perceptos; a aprendizagem dos signos e o pensamento enquanto potência de criação.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. BARTHES, Roland. Aula. São Paulo: Cultrix, 2007.
2. BADIOU, Alain. Pequeno manual de inestética. São Paulo: Estação Liberdade, 2002.
3. DELEUZE, G. Francis Bacon: a lógica da sensação. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2007.

- Complememtar:
1. CORAZZA, Sandra. Artistagens: Filosofia da diferença e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.
2. DELEUZE. Gilles. A ilha deserta: e outros textos. Edição Preparada por David Lapoujade. Organização da edição brasileira e revisão técnica Luiz Orlandi. São Paulo: Iluminuras, 2006.
3. FONSECA, Tânia G. e ENGELMAN, Selda (orgs.) Corpo, arte e clínica. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2004.
4. HERMANN, Nadja. Ética e estética: a relação quase esquecida. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2005.
5. ORTEGA, José e GASSET. A desumanização da Arte. São Paulo: Cortez, 2005.

Tópicos Avançados de Biologia
CH: 60h/a
EMENTA:
Estudo e discussão de tópicos atuais relacionados às Ciências Biológicas Métodos de abordagem do ensino e aprendizagem de aspectos teóricos e práticos no ensino de Biologia, dentro de uma visão interdisciplinar.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
MATURANA, H.R. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. São Paulo. Palas Athena. 2011.
MAYR, E. Isto é Biologia: a ciência do mundo vivo. São Paulo. Companhia das Letras. 2008.
POZO, Juan Ignacio; CRESPO, Miguel Ángel Gómez. A aprendizagem e o ensino de ciências: do conhecimento cotidiano ao conhecimento científico. Porto Alegre: Artmed, 2009.

- Complementar:
1. CARVALHO, I. C.de M. Educação Ambiental: a formação do sujeito ecológico. 6 ed. São Paulo. Cortez. 2012.
2. DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J.A.; PERNAMBUCO, M.M. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. 4 ed. São Paulo. Cortez Editora. 2011.
3. STILING. P. Ecology: Global Insights and Investigations. 2nd. ed. Boston: McGraw-Hill, 2014.
4. CAPRA F. 1995. Ponto de mutação. Editora Cultrix. São Paulo. 445 pág.
5. QUINN, D. 2000. A história de B. Editora Peirópolis. Rio de Janeiro. 344 pág.

Tópicos Avançados de Física
CH: 60h/a
EMENTA:
Conceitos fundamentais da Mecânica Quântica. Relatividade restrita. Física das Radiações Partículas elementares. Conceitos fundamentais de física nuclear e física molecular. Tendências teórico-metodológicas da pesquisa em Ensino de Física e formas de trabalho em sala de aula com caráter inovador e interdisciplinar.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. TIPLER, P. A.; LLEWELLYN, R. A. Física moderna. Rio de Janeiro: LTC. 2001.
2. EISBERG, R. M. Física quântica: átomos, moléculas, sólidos, núcleos e partículas. Rio de Janeiro: Campus, 1983.
3. MENEZES, Luis Carlos de. A matéria: uma aventura do espírito : fundamentos e fronteiras do conhecimento fisico. São Paulo: Livraria da Física, 2005.

- Complementar:
1. BRAZ JUNIOR, Dulcidio. Física moderna: tópicos para ensino médio. Campinas: Companhia da Escola, 2002.
2. CARUSO, Francisco; OGURI, Vitor. Física moderna: origens clássicas e fundamentos quânticos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.
3. HALLIDAY, D.; RESNICK, R.; WALKER, J. Fundamentos de física. Rio de Janeiro: LTC, 2003. v. 4
4. HEISENBERG, Werner; FERREIRA, Jorge Leal. Física e filosofia. Brasília: Universidade de Brasília, 1981.
5. YOUNG, Hugh D.; FREEDMAN, Roger A. Física IV. São Paulo: Pearson/Addison Wesley, 12ª ed, 2012.

Tópicos Avançados de Matemática
CH: 60h/a
EMENTA:
Tópicos de derivadas e integrais, equações diferenciais ordinárias. Programação linear. Métodos numéricos: zeros reais de funções reais, ajuste de curvas pelo método dos mínimos quadrados, interpolação, resolução de sistemas lineares, soluções numéricas de equações diferenciais ordinárias.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. RUGGIERO, M.A.G.; LOPES, V.L. Da R.; Cálculo numérico: aspectos teóricos e computacionais. São Paulo, Makron Books, 2a. Edição, 2013.
2. SPERANDIO, D.; MENDES, J. T.; SILVA, L. H. M.. Cálculo numérico: características matemáticas e computacionais dos métodos numéricos. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2013.
3. ZILL, D., G. Equações Diferenciais com Aplicações em Modelagem. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2a. Edição, 2013.

- Complementar:
1. ANTON, H.: Cálculo; um novo horizonte, volume 1. Porto Alegre, Bookman, 578 pp., 2000.
2. ANTON, H.; RORRES, C. Álgebra linear: com aplicações. 10. ed. Porto Alegre, Bookman, 2012.
3. BOYCE, W.E.: DIPRIMA, R.C.; Equações diferenciais elementares e problemas de valores de contorno, 9a. Edição, Rio de Janeiro, LTC, 2013.
4. DULLIUS, M.M.; VEIT, E.A.; ARAUJO, I.S. Ensenanza y Aprendizaje en Ecuaciones Diferenciales con abordaje Gráfico, Numérico y Analitico. Tese de doutorado do Programa de Doctorado en Ensenanza de las Ciencias da Universidade de Burgos – Espanha, 2009. Disponível emhttp://hdl.handle.net/10259/110.
5. LACHTERMACHER, G. Pesquisa operacional na tomada de decisões. 4 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2012.

Tópicos Avançados de Química
CH: 60h/a
EMENTA:
Novos materiais. Química nuclear. Fármacos. Química forense. Nanoquímica. Química de alimentos. Substâncias bioativas. Catálise química. Química ambiental.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. ZARBIN, Aldo J. G . QUÍMICA DE (NANO)MATERIAIS. Quim. Nova, Vol. 30, No. 6, 1469-1479, 2007.
2. Viegas Jr, C.; Bolzani, V. da S.; Barreiro, E. J. OS PRODUTOS NATURAIS E A QUÍMICA MEDICINAL MODERNA. Quim. Nova, Vol. 29, No. 2, 326-337, 2006.
3. DAMODARAN, Srinivasan; PARKIN, Kirk L.; FENNEMA, Owen R. Química de alimentos de Fennema. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

- Complementar:
1. OLIVEIRA, M. F. Química forense: a utilização da química na pesquisa de vestígios de crime. QUÍMICA NOVA NA ESCOLA, n. 24, novembro 2006.
2. XAVIER, A. M. MARCOS DA HISTÓRIA DA RADIOATIVIDADE E TENDÊNCIAS ATUAIS. Quim. Nova, Vol. 30, No. 1, 83-91, 2007.
3. YUNES, Rosendo Augusto; CECHINEL FILHO, Valdir (Orgs). Química de produtos naturais, novos fármacos e a moderna farmacognosia. 2. ed. rev. ampl. Itajaí: UNIVALI, 2009.
4. ZARBIN, P. H. G.; RODRIGUES, M. A. C. M.; LIMA, E. R. Feromônios de insetos: tecnologia e desafios para uma agricultura competitiva no Brasil. Quim. Nova, Vol. 32, No. 3, 722-731, 2009.
5. LEAL, I. C. R.; BARROS, J. C.; MIRANDA, L. S. M. Química do amor. São Paulo: SBQ. 2010. Disponível em: www.ciencias.seed.pr.gov.br/arquivos/File/sugestao_leitura/52quimica_amor.pdf.

Tópicos Avançados em História
CH: 60h/a
EMENTA:
Perspectivas e conexões entre tempo e história. A pluralidade das categorias históricas. Possibilidades metodológicas de levantamento de fontes da pesquisa histórica. Debates contemporâneos sobre pesquisa historiográfica. A constituição da memória e sua dimensão social.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
1. BRAUDEL, Fernand. Reflexões sobre a história. São Paulo: Martins Fontes, 1992.
2. CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo (org). Domínios da História: ensaios de Teoria e Metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997.
3. CERTEAU, Michel de. A escrita da História. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1982.

- Complementar:
1. CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.
2. HOBBSBAWM, Eric. Sobre história. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.
3. HUNT, Lynn. A nova História Cultural. São Paulo:Martins Fontes, 1992.
4. LE GOFF, Jacques. Memória-História. Enciclopédia Einaudi, 1. Lisboa: Imprensa Nacional: Casa da Moeda, 1984.
5. WHITE, Hayden. Metahistória. São Paulo: EDUSP, 1992.



CARGA HORÁRIA MÍNIMA A CURSAR
Categoria Mestrado Doutorado
Obrigatórias 210 horas (14 créditos) 270 horas (18 créditos)
Eletivas 120 horas (8 créditos) 150 horas (10 créditos)
Eletiva por Área do Conhecimento 60 horas (4 créditos) 60 horas (4 créditos)
Orientação 90 horas (6 créditos) 120 horas (8 créditos)
Estudos Independentes 60 horas (4 créditos) 60 horas (4 créditos)
Total 540 horas (36 créditos) 660 horas (44 créditos)
Estágio de Docência no Ensino Superior* 45 horas (3 créditos)
*Obrigatório para bolsistas