Utilizamos cookies neste site. Alguns são utilizados para melhorar sua experiência, outros para propósitos estatísticos, ou, ainda, para avaliar a eficácia promocional do nosso site e para oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações sobre os cookies utilizados, consulte nossa Política de Privacidade.

PPGEnsino

Detalhes do Projeto de Pesquisa

Ensino e aprendizagem: o currículo em meio a práticas educativas e artísticas

Coordenação: Angélica Vier Munhoz

Pesquisadores:

Angélica Vier Munhoz

Morgana Domênica Hattge

Suzana Feldes Schwertner

Órgãos Financiadores:
Fundação Vale do Taquari de Educação e Desenvolvimento - FUVATES
 
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq

Resumo:
O Grupo de pesquisa Currículo, Espaço, Movimento (CEM/Univates), no seu primeiro projeto de pesquisa, desenvolvido de 2013 a 2016, com apoio do CNPq, teve como objetivo investigar o currículo em diferentes espaços escolares e não escolares e seus movimentos escolarizados e não escolarizados. Já no segundo projeto proposto, iniciado em 2017, vem buscando compreender e problematizar o modo como os espaços escolares e não escolares vêm produzindo práticas educativas e artísticas em meio aos processos de ensinar e aprender, contando com financiamento do CNPq e Fapergs. Nessa medida, o pensamento da Filosofia da Diferença, a partir dos autores Deleuze & Guattari e Foucault, entre outros, é tomado como aporte teórico da investigação. Por outra via, as discussões curriculares também se tornaram centrais e as teorizações curriculares pós-estruturalistas, propostas por pensadores brasileiros, como Sandra Corazza, Tomaz Tadeu, Alfredo Veiga-Neto, também foram fundamentais para a construção do plano conceitual-metodológico da pesquisa. Para tanto, toma como campo de investigação espaços escolares e espaços não escolares, mais especificamente, escolas e museus de arte - com os quais o Grupo CEM possui parceria. Desse modo, interessa, para o presente projeto de pesquisa, aproximar-se mais intensivamente das noções de ensino e de aprendizagem que permeiam os currículos de espaços escolares e não escolares, assim como pensar tais processos. Delineia-se, a partir das questões que seguem, o problema de pesquisa: como a aprendizagem e o ensino estão sendo pensadas nos espaços escolares e não escolares? De que modo os  espaços escolares e não escolares produzem práticas educativas e artísticas, em meio aos processos de ensinar e aprender? De que modo o ensino e a aprendizagem se interconectam na produção de subjetividades? Partindo de um enfoque qualitativo genealógico e por meio de procedimentos exploratório-experimentais, busca-se acompanhar as atividades educativas e artísticas, oferecidas pelos espaços constituintes do campo empírico da pesquisa, buscando compreender suas lógicas de funcionamento e os modos como produzem suas relações, resistências, imobilidades e seus campos de experimentações. O Grupo CEM subdivide-se em três linhas de pesquisa: 1) GT1 – Aprendizagem, diferença e inclusão; GT2 – Aprendizagem, pensamento e criação; GT3 – Processos de subjetivação em práticas educativas e artísticas, de modo que cada uma integra pesquisadores e bolsistas em torno de estudos, investigações e produções acerca das temáticas. Cabe ainda destacar que o Grupo CEM está vinculado ao programa de Pós- Graduação em Ensino da Univates, ao projeto de extensão Pensamento Nômade e integra a Rede de Pesquisa Escrileituras da Diferença em Filosofia-Educação e a Rede de Investigação em Inclusão, Aprendizagem e Tecnologia em Educação (RIATTE).
Sub projetos
Coordenação: Angélica Vier Munhoz
Pesquisador(a):
Mariane Inês Ohlweiler
Fabiane Olegário
Cristiano Bedin da Costa
Deborah Vier Fischer
Glória Jové Monclús

Fontes Financiadoras:

Edital Universal MCTIC/CNPq 2018


Resumo:
A presente proposta é decorrente de uma pesquisa que vem sendo desenvolvida desde 2013, pelo Grupo de pesquisa Currículo, Espaço, Movimento (CEM/CNPq/Univates), coordenado por essa pesquisadora, cujo objetivo consiste em compreender e problematizar o modo como os espaços escolares e não escolares vêm produzindo práticas educativas e artísticas, em meio aos processos de ensinar e aprender. Para o projeto que se apresenta, busca-se aproximação com um novo espaço de investigação, a Universidade de Lleida, na Espanha, a qual, por meio de parceria interinstitucional, passa a integrar o campo empírico do Grupo CEM. Nesse sentido, o referido projeto tem como propósito investigar a experiência que vem sendo realizada por essa instituição no que tange à formação de professores para a educação primária. Tal experiência é proposta pela Facultad de Ciencias de la Educación de la Universitat de Lleida, a qual investe em uma formação docente que ocorre na intersecção do Centro de Artes de Lleida, a Faculdade de Ciências da Educação e a escola primária. Assim, com enfoque qualitativo genealógico (FOUCAULT 2000, 2005, 2008, 2012) e por meio de procedimentos exploratório-experimentais (CORAZZA, 2012, 2013), o presente projeto de pesquisa pretende investigar de que modo são produzidas as práticas metodológicas e curriculares que se efetuam entre a arte e educação no Projeto Zona Baixa, da Faculdade de Educação da Universidade de Lleida, bem como compreender as implicações de tal proposta na formação de professores. Além dos autores da Filosofia da Diferença, referencial já utilizado pelo Grupo CEM, busca-se também a aproximação com os referenciais da deriva situacionista de Guy Debord e de outros teóricos situacionistas do século XXI, que dão sustentação à proposta de formação de professores da Universidade de Lleida. Por fim, é a potência dessa proposta curricular, seus processos de ensino e aprendizagem em meio aos encontros entre arte e educação que interessa investigar no referido projeto de pesquisa.
Coordenação: Angélica Vier Munhoz
Pesquisador(a):
Suzana Feldens Schwertner
Morgana Domênica Hattge
Mariane Inês Ohlweiler
Danise Vivian
Cláudia Inês Horn
Fabiane Olegário
Cristiano Bedin da Costa
Betina Silva Guedes

Fontes Financiadoras:

Edital FAPERGS 02/2017 Programa Pesquisador Gaúcho – PqG


Resumo:
A partir de autores da Filosofia da diferença, tais como Deleuze e Guattari, Foucault, Nietzsche, entre outros, o presente projeto de pesquisa tem por objetivo investigar os processos de ensinar e aprender, produzidos por práticas educativas e artísticas, em espaços escolares e não escolares. Para tanto, toma como campo de investigação dois espaços de arte: a Fundação Iberê Camargo (Porto Alegre/RS) e o Museu de Arte do Rio (Rio de Janeiro/RJ), e dois espaços escolares - Escola Municipal Porto Novo (Lajeado/RS) e Escola Municipal Agrícola, Florestal e Ambiental (Ilópolis/RS) - com os quais o Grupo de Pesquisa Currículo, Espaço, Movimento (CEM/CNPq/Univates), existente desde 2013, possui parceria. Desse modo, interessa, para o presente projeto de pesquisa, aproximar-se mais intensivamente das noções de ensino e de aprendizagem que permeiam os currículos de espaços escolares e não escolares, assim como pensar tais processos. Diante de tal perspectiva, toma-se como problema de pesquisa as seguintes questões: como a aprendizagem e o ensino estão sendo pensadas nos espaços escolares e não escolares? De que modo os espaços escolares e não escolares produzem práticas educativas e artísticas, em meio aos processos de ensinar e aprender? Partindo de um enfoque qualitativo genealógico e por meio de procedimentos exploratório-experimentais, buscar-se-á acompanhar as atividades educativas e artísticas, oferecidas pelos espaços constituintes do campo empírico da pesquisa, buscando compreender suas lógicas de funcionamento e os modos como produzem suas relações, resistências, imobilidades e seus campos de experimentações.
Coordenação: Fabiane Olegário
Pesquisador(a):
Angélica Vier Munhoz
Sandra Mara Corazza
Maria Idalina Krause de Campos
Karen Elisabete Rosa Nodari

Fontes Financiadoras:

Edital Universal MCTIC/CNPq 2018


Resumo:
A presente proposta é decorrente de uma pesquisa vêm sendo desenvolvida, desde 2013, pelo Grupo de pesquisa Currículo, Espaço, Movimento (CEM/CNPq/Univates), cujo objetivo consiste em compreender e problematizar o modo como os espaços escolares e não escolares vêm produzindo práticas educativas e artísticas, em meio aos processos de ensinar e aprender. Para o projeto que se apresenta, busca-se pensar de que modo os professores da Educação Básica de uma das escolas parceiras da Pesquisa, planejam suas aulas, na medida em que, reinventam procedimentos didáticos, a partir dos arquivos - textos e conteúdos existentes. Através do método da transcriação (CAMPOS, 2013; CORAZZA, 2012, 2013) e dos procedimentos de reinvenção transcriadora (CAMPOS, 2013; CORAZZA, 2012, 2013) o presente projeto de pesquisa pretende investigar as práticas pedagógicas de professores da Educação Básica, a fim de compreender como os professores estão lendo e transformando as matérias do arquivo quando produzem uma aula.
Inscreva-se
Nos envie sua dúvida.
*Erro: Todos os dados devem ser preenchidos
Sua mensagem foi enviada com sucesso!