Como engajar pessoas em projetos colaborativos?

Postado em 13/06/2018 17h01min e atualizado em 14/06/2018 08h54min

Por Ana Amélia Ritt

A questão do título desta matéria foi tema do workshop que ocorreu na tarde desta quarta-feira, dia 13, na Univates. A atividade abriu o evento Movimentos de Inovação Social, que tem continuidade no turno da noite com encontros simultâneos que envolvem design, saúde, tecnologia e ecologia. O evento é gratuito e ainda recebe inscrições.

Ana Amélia Ritt

Ana Amélia Ritt

“Quando temos vontade de fazer algo, vamos lá e fazemos. Cada um funciona de um jeito e engajar as pessoas é difícil, mas antes de convencê-las de que algo é bom, precisamos acreditar”, explicou Edson Rivelino Pereira, um dos ministrantes do workshop. Pereira abordou as Hortas Urbanas de Curitiba, um projeto municipal que possui mais de mil hortas comunitárias. 

Ana Amélia Ritt

Com ele, Marcelo Vaz Pupo debateu formas de engajar pessoas apresentando o Sementeia, uma plataforma digital multimídia. “Estar aqui também é uma forma de engajar”, destacou Pupo, afirmando que a presença faz perceber o espaço.

Pupo contou que o processo de aprendizagem não é só individual, mas também tem relação com outras pessoas. Além disso, o pesquisador destacou que a aprendizagem não é limitada ao ambiente de educação. “Construímos no coletivo”, declarou. Em complemento à ideia, Pereira salientou que para grupos trabalharem como unidade, é preciso conhecer o perfil das pessoas envolvidas.

O evento segue à noite com discussões relacionadas à inovação social em design, saúde, alimentos, ambiente e tecnologias. As inscrições podem ser realizadas aqui.

Buscamos gerar conversas significativas sobre temas de ação social e inspirar as pessoas a criarem novas possibilidades de trabalho, ações coletivas
coordenadora do evento, professora Jane Mazzarino

Ana Amélia Ritt

Confira a programação

19h30min - Roda de conversa - Espaços do design para inovação social

Convidados:
Estúdio Nômade – consultoria que facilita processos de inovação na gestão da cultura organizacional e no desenvolvimento de novos negócios
Justa Trama – cadeia produtiva do ramo vestuário que tem como base o algodão ecológico e a economia solidária
Vila Flores – comunidade de práticas colaborativas formada por artistas, produtores culturais e empreendedores criativos e sociais
Mediador: Prof. Rodrigo Brod, coordenador do curso de Design da Univates
Onde: auditório do Prédio 9

19h30min - Roda de conversa - Saúde e bem-estar

Convidados:
Bloodify – plataforma virtual que estimula a doação de sangue
Ecovida – certificadora participativa de alimentos ecológicos
Mediadora: Cíntia Agostini, coordenadora do Tecnovates/Univates
Onde: auditório do Prédio 16

19h30min - Roda de conversa - Tecnologias e sensibilidade social

Convidados:
Sementeia – plataforma digital multimídia de produção colaborativa de conteúdo audiovisual
Veredas da Linguagem – projeto de extensão da Univates que contempla demandas comunitárias em arte, literatura, tecnologia, corporeidade, ludicidade, cognição e ensino
Nara Dagostini – facilitadora em gestão da transformação nas organizações
Tiago Guerra – acredita mais na colaboração do que na competição e busca pela prática compreender o significado da vida em sociedade
Mediadora: Jane Mazzarino, professora do Programa de Pós-Graduação em Ambiente e Desenvolvimento (PPGAD) da Univates
Onde: Cafeteria do Teatro Univates

19h30min - Roda de conversa - Ecologia dos alimentos

Convidados:
Arvor(e)ser – espaço de ecoalfabetização com produção de alimentos orgânicos
Programa de Hortas Urbanas de Curitiba
Marlon Dalmoro – pesquisador da relação entre produção e consumo de agroecológicos, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Sistemas Ambientais Sustentáveis (PPGSAS) da Univates
Agroecologistas da Forqueta – coletivo de produtoras de alimentos ecológicos do Vale do Taquari
Mediadora: Luciana Turatti, professora do PPGAD e do PPGSAS da Univates
Onde: auditório do Prédio 7

Ana Amélia Ritt