Univates recebe Interact e MEQ em reunião-almoço

Postado as 13/12/2018 17:57:15

Por Elise Bozzetto

Elise Bozzetto

A Univates promove encontros periódicos com empresas, indústrias, prestadores de serviço e lideranças do Vale do Taquari. Os objetivos da ação são dialogar e pensar de forma conjunta o desenvolvimento regional, além de manter relacionamento próximo com os diversos setores da sociedade.

Na última quinta-feira, dia 13, a Instituição recebeu a visita da Interact e da Milk, Education and Quality (MEQ). Representando a MEQ, estiveram presentes os diretores Sérgio Costa e Matheus Delavald. O grupo foi recebido pela Reitoria da Univates, diretores de Centro, gestores de diferentes setores, representantes do Parque Científico e Tecnológico do Vale do Taquari (Tecnovates) e pesquisadores.

Elise Bozzetto

Costa, que está à frente dos negócios da família, tem uma história de quatro gerações na indústria pecuária e leiteira. O empresário veio do interior de São Paulo para estabelecer sede em Lajeado. “Estou em Lajeado há alguns anos. No momento em que pisei aqui fiquei impressionado com a estrutura da Univates. O que vocês têm aqui é difícil de encontrar no resto do País. Aqui só não produz quem não quiser”, ponderou. Para ele, a parceria com a Univates tem muita sinergia com seu negócio, uma vez que a educação e o conhecimento perpassam o DNA da empresa. “Temos três pilares na MEQ: conhecimento, manejo e genética. E, sem dúvidas, o conhecimento é o pilar que mais valorizamos. Acreditamos que sem conhecimento as empresas vão sair do mercado em longo prazo”, comentou. 

As principais parcerias da MEQ são atreladas à cultura educacional dinamarquesa e à tradição na produção de lácteos com qualidade e tecnologia italiana. A parceria com o Tecnovates abre portas para a internacionalização. “Estamos muito felizes por sermos residentes no Parque, já trouxemos parceiros internacionais, e contar com a expertise dos pesquisadores e com a estrutura de pesquisa da Universidade está totalmente alinhado com o DNA de nossa empresa”, sinalizou Costa.

A aproximação com o Tecnovates prevê o desenvolvimento de pesquisa e inovação para isolar bactérias lácticas do leite da Fazenda São Bento para o desenvolvimento de queijos com características próprias. Hoje no P&D da MEQ trabalham as pesquisadoras da Univates Claucia Volken de Souza e Mônica Jachetti Maciel, além dos bolsistas Gabriela Rabaioli Rama, estudante de Engenharia de Alimentos, e Daniel Kuhn, mestrando em Biotecnologia, que iniciará como bolsista de doutorado em Biotecnologia em janeiro de 2019.

Elise Bozzetto

Em nome da Interact, João Alex Fritsch e Fernando Estrada falaram sobre os projetos da empresa. “Temos grande satisfação em fazer parte da Univates. A Interact tem uma relação de longa data com a Universidade, e ficamos felizes por estarmos aqui hoje e termos firmado parceria com o Tecnovates”, comentou. A visão da organização, até 2022, é ser referência internacional em soluções de tecnologia e gestão para promoção da inteligência corporativa. Atualmente, a Interact conta com 150 colaboradores, distribuídos em 11 unidades no Brasil. Ainda contabiliza 35 parceiros de distribuição e 10 distribuidores na América Latina. A empresa também já tem 800 bases instaladas na América Latina. Hoje, no Tecnovates, estão alocados 30 funcionários da empresa. 

 

Ao se instalar no Tecnovates, a empresa criou a Interact Bridges, que tem como focos a integração aos ecossistemas, o intercâmbio de alunos e o apoio da Univates e do Parque na estratégia de internacionalização da marca. A empresa conta com três grandes atuações: relacionamento com o cliente, projetos ao cliente e desenvolvimento de projetos. Um dos produtos mais destacados da Interact é o Strategic Adviser (SA), sistema que gerencia diferentes aspectos da governança corporativa. Ele atua em gestão da qualidade, gestão de processos, compliance e escritório 3Ps (Planejamento, Projetos e Processos). “Estamos indo em diferentes mercados e vendo as necessidades. A partir onde oferecemos os produtos de acordo com as demandas. Essas equivalências aos diferentes modelos de certificação são muito importantes”, ressaltou Estrada. Para ele, atuar com intercambistas e promover a internacionalização da empresa facilitam a fluidez. “Estamos saindo daqui com sistemas que não se adaptam apenas a uma situação. São soluções completas. Por isso os intercambistas são muito importantes, eles vêm com a cultura de origem, conseguem dar uma visão mais ampla aos projetos”, concluiu Estrada.

 

A atuação no mercado nacional tem sido ampla, com clientes nos diferentes segmentos, como Fruki, Fecomércio, Hospital Mãe de Deus, Santa Casa, Unimed, Todeschini, Peccin, Hospital Sírio-Libanês, Univates, Klin, Sesc e Santa Clara. Os próximos desafios envolvem aprimoramento na gestão pública, em sistemas de orçamentos e na expansão do mercado internacional.