Estudante viaja 1.850 km para se matricular na Univates

Postado as 03/02/2020 09:41:10

Por Lais Pontin Matos

Mayara Lisboa

O sonho de cursar Medicina fez com que Amanda Rodrigues da Silva Lira viajasse de Goiás, estado onde mora, para Lajeado para se matricular na Universidade do Vale do Taquari - Univates. A estudante e seu pai, Valdir Rodrigues de Lira, percorreram de carro, em menos de 24 horas, os 1.850 km que separam os dois destinos.

Amanda, que expressa desde criança seu desejo de ser médica, conta que conheceu a Univates pela internet. “Soube que a Instituição existia quando vi uma postagem patrocinada no Instagram, e justamente por ter me interessado pela Universidade decidi me inscrever no processo seletivo para o curso de Medicina”, explica. O resultado da aprovação chegou na noite de quarta-feira, dia 22 de janeiro, deixando a estudante feliz e, ao mesmo tempo, apreensiva. “Se quisesse efetuar a matrícula, deveria vir para Lajeado. Eu estava em Goiás, por isso fiquei um pouco nervosa”, revela. 

Ainda na quarta-feira à noite, Amanda e seu pai começaram a estudar algumas possibilidades de deslocamento para Lajeado. “Pensamos em vir de avião, mas os voos que pesquisamos fariam conexões demoradas em cidades como Brasília e São Paulo. Acabaríamos perdendo muitas horas em aeroportos e corríamos o risco de nem chegar aqui no tempo certo”, explica de Lira. Ele acrescenta: “o jeito então foi pegar o carro (que já estava devidamente abastecido), configurar o aplicativo de GPS e encarar a distância que nos separava de um sonho”. 

Durante o trajeto, pai e filha enfrentaram alguns contratempos, mas em nenhum momento cogitaram desistir da viagem. Eles fizeram as refeições dentro do carro, parando apenas em postos de gasolina para abastecer o veículo e ir ao banheiro. Em determinado ponto do percurso acabaram desviando-se da rota traçada pelo GPS, circunstância que lhes custou uma hora de atraso na chegada à cidade gaúcha. 

“O campus é lindo e muito tecnológico”

Quando Amanda e Valdir finalmente puseram os pés em Lajeado, depois de aproximadamente 21 horas de viagem, sentiram que os esforços de quase um dia inteiro valeram a pena. “Fomos muito bem recebidos pelo pessoal da Univates e por alguns habitantes da cidade, que se mostraram amáveis, gentis e prestativos”, vibra de Lira.

Amanda afirma ter ficado impressionada com a infraestrutura da Universidade que a acolherá como estudante pelos próximos seis anos, tempo mínimo de duração do curso de Medicina.

O campus é lindo e muito tecnológico. Os funcionários da Univates foram atenciosos, tiraram minhas dúvidas e me auxiliaram em todas as etapas burocráticas da matrícula
diz Amanda, que depois de formada pretende se especializar nas áreas médicas de cardiologia ou neurologia.

Pai e filha retornaram para Goiás pois a estudante quer despedir-se de amigos e familiares antes de as aulas começarem, em 13 de fevereiro. Mesmo com o tempo apertado, Amanda e Valdir fizeram um acordo: a jornada de volta iniciaria somente depois de um apetitoso jantar em alguma churrascaria de Lajeado.