Detalhes do Projeto de Pesquisa

Microbiologia em Sistemas Ambientais Sustentáveis


Coordenação: Mônica Jachetti Maciel

Pesquisadores:
Claucia Fernanda Volken de Souza
Claudete Rempel
Daiane Hendrich 
Guilherme Liberato da Silva
Liana Johann
Noeli Juarez Ferla
Patrícia Valente da Silva
Maria Lúcia Scroferneker
 

Bolsistas:
 
4 Bolsas de Iniciação Científica

Mestrandos:

3


Órgãos Financiadores:

Universidade do Vale do Taquari - Univates

CNPq


Resumo:

O Bioma Pampa ocupa uma extensa área de terras no Rio Grande do Sul e apresenta uma diversidade de ambientes e de organismos que precisam ser explorados pois ainda não são descritos pela ciência. Os poucos estudos relacionados ao Bioma Pampa indicam que este local possui grande diversidade vegetal, animal e microbiana, porém ao ser comparado aos demais biomas brasileiros, é o menos conhecido, principalmente em relação a biodiversidade microbiana. Este projeto de pesquisa tem como objetivo conhecer a diversidade de fungos microscópicos presentes em solos de diferentes usos no Bioma Pampa e fazer o uso desses microrganismos na biotecnologia ambiental (controle biológico). Já foram coletadas as amostras de solo (área de pastagem, de silvicultura e área nativa) do Bioma Pampa. No total foram duas coletas uma no período frio (inverno) e a outra no período quente (verão). Para cada área, foram coletadas mais outras três, totalizando assim, 9 propriedades por coleta. O isolamento dos fungos microscópicos foi realizado por meio da metodologia de diluição decimal, envolvendo o plaqueamento por superfície em ágar Sabouraund. Dessa maneira, os fungos foram quantificados e reisolados. Atualmente estão sendo identificados a nível de gênero por microcultivo e observação dos esporos e das estruturas reprodutivas, seguindo chaves-dicotômicas existentes. Os solos já foram caracterizados físico-quimicamente quanto ao pH, umidade, nitrogênio e matéria-orgânica, determinação de argila, estimativa da acidez potencial, de quantificação de metais (potássio, cálcio, alumínio, cobre, zinco, manganês), boro, enxofre, fósforo, biomassa microbiana e respiração basal. Neste momento, alguns gêneros de  fungos estão sendo testados quanto às características biotecnológicas, frente a produção de enzimas. Aqueles que apresentarem os melhores resultados serão testados no controle biológico in vivo de ácaros e identificados molecularmente ao nível de espécie. A partir deste estudo será elaborada uma lista de gêneros de fungos microscópicos que ocorrem nos solos do Bioma Pampa, em áreas de pastagem, de silvicultura e área nativa. Será realizada a comparação da diversidade fúngica dos solos nas diferentes áreas, avaliada a influência das características físico-químicas dos solos sobre as comunidades fúngicas e a aplicação dos testes biotecnológicos frente aos fungos isolados dos solos do Bioma Pampa. Aqueles fungos que apresentarem as melhores atividades enzimáticas serão aplicados sobre ácaros in vivo, após será feita a identificação molecular dos fungos que apresentarem os melhores resultados no controle biológico de ácaros.