Detalhes do Projeto de Pesquisa

Comunicação, Educação Ambiental e Intervenções: vivências e imagens


Coordenação: Jane M. Mazzarino

Pesquisadores:

Luciana Turatti

Aida Figueredo (Universidade de Aveio)

Mônica Maria Siqueira Damasceno

Ildoana Paz Oliveira 

Marilaine de Castro Pereira Marques
 
Anna Ariane Araújo
 
Rodrigo Müller Marques
 
Camila Pires 
 
Janaína Kollet Scneider 
 
Viviane Röhrs 
 
Bruna Medina Finger Arnholdt  
 
Laura Barbieri de Oliveira
 

Bolsistas:
3 Bolsas de Iniciação Científica - Universidade do Vale do Taquari - Univates

 


Mestrandos:

4


Doutorandos:

4


Órgãos Financiadores:
Universidade do Vale do Taquari - Univates
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico- CNPq

Resumo:
Esta pesquisa propõe-se a ser um espaço de construção do saber a partir da  intervenção social com a apropriação dos meios de produção da informação para geração de processos de comunicação ambiental de caráter educomunicativo. Desta forma, articula-se às mudanças sociais e paradigmáticas  contemporâneas, especialmente no que tange à educação ambiental e ao uso das tecnologias da informação na área emergente da comunicação ambiental. Como problema de pesquisa, busca-se compreender como a articulação entre educomunicação e etnografia visual podem contribuir para avançar teórica e metodologicamente com as duas áreas. Quando se possibilita a criação de processos de educação ambiental comunitária por meio de atividades colaborativas na área da educomunicação (com uso de imagens), promovendo-se o acesso ao direito à comunicação a grupos sociais, questiona-se em que medida se pode potencializar a criação de inovações narrativas. Outra pergunta norteadora da pesquisa refere-se a quais processos de significação sobre a problemática ambiental e sobre a produção de imagens (fotográfica e audiovisual) as práticas educomunicativas evidenciam. Os processos educomunicativos que se utilizam da produção de imagens constituem-se em uma estratégia de pesquisa que privilegia a interface política-poética. Como objetivo geral busca-se inovar na produção científica por meio de pesquisa que articule processos de educomunicação socioambiental com a etnografia visual, por meio da pesquisa-participativa que explora a construção imagética. Além de pesquisar modos de aproximação e mútua contribuição entre estas áreas, como objetivos específicos se vai promover o acesso ao direito à comunicação a grupos sociais por meio de processos de educação ambiental comunitária baseados em atividades educomunicativas colaborativas; realizar práticas de educomunicação socioambiental por meio da produção de imagens; investigar, por meio do método da análise dos discursos e da etnografia visual, as práticas. A pesquisa caracteriza-se como qualitativa, com viés participativo e metodológico, baseada em estudo bibliográfico, documental e de campo, quando vai incluir entrevistas e observação participante.  Como informantes-participantes da pesquisa vão se incluídos grupos sociais diversos, que serão convidados a produzir imagens por meio da fotografia ou audiovisuais sobre questões sociaombientais por meio de uma obra coletiva, a partir de uma prática educomunicativa. Os documentos resultantes da produção participativa de imagens fotográficas e/ou serão analisados com uso dos procedimentos da etnografia visual.   Portanto, a proposta que se defende é que a etnografia visual não seja somente auxiliar na pesquisa, ocupando o lugar apenas de documentar (a exemplo do caderno de notas ou diário de campo, para provar ou narrar) o processo social sob análise, prática mais comum entre os estudos desta área. Nesta pesquisa envolver-se-ão os informantes-participantes de forma ativa na pesquisa. A estratégia de provocar os informantes a produzirem narrativas visuais como um meio para compreender sua cultura e produção de sentidos aponta para possibilidades interpretativas que vão além do relato da experiência, seja dos informantes, seja do pesquisador.