Notícias

Univates/Florestal Alimentos/Bira: dever cumprido e campeonato gaúcho à vista
Univates/Florestal Alimentos/Bira: dever cumprido e campeonato gaúcho à vista

Univates/Florestal Alimentos/Bira: dever cumprido e campeonato gaúcho à vista

Há 3 meses o Univates/Florestal Alimentos/Bira, depois do título invicto de tetracampeão gaúcho em 2011, teve de reestruturar a sua equipe para enfrentar a Copa Brasil Sul de Basquete Adulto Masculino.

A comissão técnica apostou num grupo reduzido de atletas (9 adultos e 6 jogadores da base), que mostraram que quantidade não é sinônimo de qualidade. Enfrentando grandes equipes em quadra, aos poucos a equipe foi acertando os ponteiros, construindo-se como grupo e ajustando as estratégias táticas. Foram 10 jogos pelo turno e returno da Copa Sul. Depois de se classificar em segundo lugar para a quadrangular final, o Bira foi ao Paraná enfrentar as 4 melhores equipes do Sul do Brasil. Na casa do favorito e líder Campo Mourão, o Univates/Florestal Alimentos/Bira jogou uma grande partida trazendo o título inédito de campeão sul-brasileiro e garantindo a vaga para a Super Copa Brasil.

Em São Paulo, pela Super Copa, apesar de estar com dois atletas machucados e enfrentar equipes tradicionais de São Paulo, o time fez uma ótima campanha mas não conseguiu a tão sonhada vaga para o NBB. Chegou perto de conquistar a vaga na semifinal contra Mogi, mas a estrutura montada pela equipe sede para chegar ao NBB falou alto em alguns momentos de decisão da arbitragem. O sonho do Bira chegou ao fim na bola decisiva do jogo, quando a arbitragem ignorou uma falta para o time do Vale do Taquari, tirando a possibilidade do Univates/Florestal Alimentos/Bira bater 3 lances livres e tentar o empate do jogo. A equipe voltou para casa com o quarto lugar na competição.

Para o técnico da equipe, Antônio Krebs Junior, o Pitu, a trajetória foi típica de um time campeão. “Começamos a Copa Sul com pouco treino e saíamos ganhando. Tivemos algumas dificuldades mas na quadrangular final confirmamos o perfil guerreiro e que cresce nos momentos decisivos. Na Super Copa foi a mesma coisa, me arrisco a dizer que fomos o único time dentro da competição, mesmo com vários problemas, que subiu de padrão. Uma pena não chegarmos à final”.

O sentimento é de dever cumprido, segundo o coordenador técnico, Clairton Wachholz, o Xis. “Saímos de cabeça erguida e com uma certeza: essa equipe montada para o primeiro semestre foi motivo de muito orgulho para o Bira e região. Esperamos poder contar com esse grupo de atletas rumo ao pentacampeonato gaúcho e agradecemos à Univates, à Florestal Alimentos, à Prefeitura de Lajeado e apoiadores pelo engajamento. Esperamos contar com todos novamente no segundo semestre”.

Com a palavra, os atletas

O Bira, conhecido por despertar nos atletas desde cedo a paixão não só pelo basquete mas pela causa e pelo projeto do Clube, sempre teve como característica provocar o sentimento guerreiro em quadra e reforçar o espírito de grupo, em detrimento do individualismo. Para Cauê Verzola, ala/armador da equipe, essa experiência vai ficar marcada em sua trajetória. “Fazer parte do Univates/Florestal Alimentos/Bira foi para mim a afirmação de tudo que eu já pensava sobre a cidade de Lajeado e as pessoas envolvidas no projeto. Lajeado me surpreendeu de todas as formas positivas, uma cidade que me acolheu como nenhuma outra. Hoje eu sinto como se fosse nascido e criado aqui, tenho muito orgulho de representar essa cidade pelo país, muito orgulho de ter tido a oportunidade de ser o capitão dessa equipe que eu aprendi a respeitar, acreditar e amar com o tempo. Fazer parte do Bira significou a melhor fase da minha vida pessoal e profissional. Me sinto completamente em casa em Lajeado e aprendi que o Bira é mais do que uma equipe, é uma causa. Espero estar sempre junto ao Bira e ajudando o Clube a voltar logo para o topo do basquete nacional”.

Bruno Ferreira, ala/pivô, ressalta este espírito de grupo construído. “Conheci verdadeiros guerreiros e homens de superação. Profissionais não só dispostos a crescerem pessoalmente mas também a ajudarem um time a crescer no cenário nacional e acho que todos nós conseguimos isso. Embora não tenhamos conquistado nosso objetivo de disputar a próxima temporada do NBB, acredito que não há motivos para tristezas ou para baixar a cabeça, pois jogamos de igual para igual com os grandes de São Paulo, e isso é motivo de orgulho não só para cada um de nós, mas também para a cidade de Lajeado. O Univates/Florestal Alimentos/Bira foi um time montado às pressas, mas com a felicidade de ter encontrado as peças certas para cada setor. Foram apenas 3 meses mas parece que foram muito mais pois tivemos tanta empatia no grupo e pela causa que parecia que todos nós (jogadores, dirigentes, apoiadores, torcedores, imprensa) já nos conhecíamos há anos. Não hesito ao afirmar que construímos uma família e um grupo de verdadeiros guerreiros que realmente vestem a camisa da entidade que defendem. Por isso só tenho a agradecer a todos os dirigentes, comissão técnica, patrocinadores, imprensa e torcedores pelo apoio de sempre e pela confiança que depositaram não só em mim, como na equipe como um todo. Agradeço a Deus por ter me dado a oportunidade de trabalhar com verdadeiros profissionais e amantes do basquete brasileiro. De coração espero que essa última semana de jogos que tivemos em São Paulo não tenha sido um adeus, e sim um até logo. Porque agora mais do que nunca eu quero continuar fazendo parte desse projeto e ajudar o Bira a figurar entre os grandes do basquete nacional”, ressalta.

O próximo desafio do Bira será o Campeonato Gaúcho, que acontece no segundo semestre, em data ainda a ser definida. O Clube conta com o patrocínio da Univates, Florestal Alimentos e Prefeitura Municipal de Lajeado. Como apoiadores, a Unimed VTRP, Construtora Diamond, Kikão Lanches, Imperatriz Hotel, CBTur, Fundação de Esporte e Lazer do RS (Fundergs) e Bergatur.

Fotos: Elise Bozzetto

Programa de esporte
Programa de esporte "Tá em Jogo" apresenta convidados

Programa de esporte "Tá em Jogo" apresenta convidados

O programa de esportes da TV Univates, o “Tá em Jogo”, será especial na próxima segunda-feira, dia 21 de maio. Estarão presentes a comissão técnica e a direção do time de basquete do Vale do Taquari Univates/Florestal Alimentos/Bira que falarão sobre a participação da equipe na Super Copa Brasil, realizada em São Paulo, e o comunicador do Grupo Independente Felipe Schmidt.

O programa também apresenta o quadro Grenal que destaca sobre a estreia da dupla no Campeonato Brasileiro de Futebol - que inicia neste mês e termina em dezembro. O primeiro confronto do Internacional é com o Coritiba e o Grêmio enfrenta o Vasco. Também apresenta matéria sobre o jogo da Alaf contra o Bento e o Desafio Adrennon/DCE.

O programa Tá em Jogo é exibido ao vivo todas as segundas-feiras, às 22h30min, pelo canal 15 da Net Lajeado ou pelo site www.univates.br/tv. O telespectador pode interagir com o programa enviando mensagens no twitter @taemjogo ou ligando para o telefone (51) 3714-7034.



Texto: Ana Paula Vieira Labres

Aprender Experimentando ensina Ciências com atividades interativas
Aprender Experimentando ensina Ciências com atividades interativas

Aprender Experimentando ensina Ciências com atividades interativas

Aproximadamente 375 alunos de oito escolas de Ensino Médio do Vale do Taquari estão participando do 6o Aprender Experimentando da Univates, realizado nesta sexta-feira, dia 18. O evento, que iniciou no turno da manhã e prossegue no turno da noite, busca despertar o espírito científico, a curiosidade e o gosto pelas Ciências, principalmente pelas áreas de Física, Química e Matemática. Além disso, o objetivo também é proporcionar aos alunos de graduação a integração com alunos de Ensino Médio.

Núcleo de Cultura abre edital de exposições
Núcleo de Cultura abre edital de exposições

Núcleo de Cultura abre edital de exposições

O Núcleo de Cultura da Univates abre, de 21 de maio a 13 de julho, o período de inscrições para os interessados em expôr nos espaços disponibilizados pela Instituição no próximo semestre. O objetivo é acolher obras de artistas plásticos jovens ou consagrados das mais diversas tendências, permitindo a continuidade do trabalho de difusão cultural realizado na Univates.

Documentário “O veneno está na mesa” alerta sobre o uso de agrotóxicos na agricultura brasileira
Documentário “O veneno está na mesa” alerta sobre o uso de agrotóxicos na agricultura brasileira

Documentário “O veneno está na mesa” alerta sobre o uso de agrotóxicos na agricultura brasileira

O auditório do Prédio 3 da Univates esteve lotado na noite desta quinta-feira, dia 17, para a exibição do documentário “O veneno está na mesa”, de Silvio Tendler. Alunos da Univates e comunidade prestigiaram o filme, que em 50 minutos, mostra sobre o uso de agrotóxicos no Brasil.

O evento foi aberto pela coordenadora do projeto de extensão “Comunicação para Educação Ambiental” da Univates, Jane Mazzarino, que salientou sobre a importância do tema e de discutir questões que abordam agroecologia, meio ambiente e saúde.

Após a exibição do filme, houve debate com a professora Jane, com o representante da ONG Ecobé, André Müller, com o representante da Articulação Agroecológica Vale do Taquari (AAVT), engenheiro agrônomo Landersom Holz e com a médica representante do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador, Adriana Skamvetsakis.

A iniciativa contou com o apoio da Pastoral Universitária Ecumênica (Pasune), da ONG Ecobé, da Articulação Agroecológica Vale do Taquari (AAVT), do projeto de extensão Comunicação para Educação Ambiental e do Centro de Ciências Humanas e Jurídicas (CCHJ) da Univates.

 

Saiba mais

Desde 2008, o Brasil é o maior consumidor de agrotóxico do mundo e o documentário alerta sobre seu uso indiscriminado na agricultura brasileira. Esses agentes químicos são fornecidos por empresas como BASF, Bayer, Dupont e Monsanto, entre outras. Muitos dos pesticidas produzidos por essas empresas foram banidos em vários países de todos os continentes, mas no Brasil continuam em uso – inclusive pelos pequenos agricultores, que são obrigados a utilizar sementes transgênicas e agrotóxicos para conseguir créditos nos bancos.


 

Texto: Ana Paula Vieira Labres