Inovates aprova incubação de dois novos negócios

Postado em 06/04/2018 18h07min e atualizado em 09/04/2018 13h12min

Por Ana Amélia Ritt

Duas empresas pré-incubadas da Incubadora Tecnológica da Univates (Inovates) apresentaram seus projetos na tarde desta sexta-feira, dia 6. Com as ideias aprovadas pela banca avaliadora, as empresas tornam-se incubadas e passam a executar o plano de negócios construído até o momento.

As ideias apresentadas surgiram no CRIExp, um dos maiores eventos do sul do Brasil em criatividade, inovação e empreendedorismo, organizado pela Univates, que ocorreu no final de 2016. As empresas trouxeram para avaliação uma nova solução para bebidas e uma nova experiência leitora.

Ana Amélia Ritt

A fim de indicar melhorias para o produto e empresas em diferentes áreas, a banca avaliadora foi composta pela pró-reitora de Desenvolvimento Institucional, Júlia Barden; pela coordenadora do Tecnovates, Cíntia Agostini; pelo gerente da Inovates, Michel Machado; pela coordenadora do Escritório de Relações com o Mercado (ERM), Cristiani Reimers; pelo professor do Centro de Gestão Organizacional (CGO) Gabriel Machado Braido e pelo professor do Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas (Cetec) Cláudio Rosário.

Conforme Michel, ambas as empresas demonstraram muita motivação na fase inicial. “Queremos que esses negócios sejam desenvolvidos e gerem qualidade de vida à região do Vale do Taquari, oportunizando, rendas e empregos”, afirma.

Cíntia pontua que o Tecnovates é um local para a materialização de ideias e, por isso, um ambiente propício para projetos que surgem em sala de aula e eventos, por exemplo.

As ideias apresentadas para as bancas mostram um conteúdo tecnológico bom. Temos um caso incremental e outro disruptivo, ambos inovadores e nascidos no nosso entorno, que contaram com o apoio na gestão e tecnicamente da Inovates
coordenadora do Tecnovates, Cíntia Agostini

Ana Amélia Ritt

Um dos empreendedores, Ivan Camilo Lasso, que trouxe uma nova ideia de leitura, é colombiano e veio ao Brasil para realizar intercâmbio acadêmico. Ivan estudou na Univates durante um ano, do final de 2014 ao início de 2015, e permaneceu no Brasil.

“Quis continuar me especializando e aprendendo. Fiquei surpreso com a qualidade de vida e com o ecossistema interessante que a Univates oportuniza para gerar novas ideias. O apoio que tive nesse período de pré-incubação foi fundamental, porque auxiliou a estruturar o modelo de negócios e a explicar melhor minha ideia”, conta Ivan.

Ana Amélia Ritt

Guilherme Leite Lago e Júlio Imbriaco Silveira, diplomados em Engenharia Mecânica pela Univates, apresentaram à banca uma nova solução em bebidas.