Estrutura Curricular

Disciplinas Obrigatórias:

Legislação Ambiental
CH: 30h-a
EMENTA:
Histórico e evolução da legislação ambiental no contexto internacional e nacional. Os princípios ambientais. Fundamentos da legislação ambiental: antropocentrismo e eco centrismo. Política Nacional do Meio Ambiente. Sistema Nacional do Meio Ambiente. Competência ambiental dos entes federados. Estabelecimento de padrões ambientais. Aspectos legais e institucionais relativos à poluição. Responsabilidade objetiva. Responsabilidades administrativa, civil e criminal. Crimes ambientais. Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. Política Nacional de Recursos Hídricos. Política Nacional de Resíduos Sólidos. Saneamento Básico. Código Florestal Federal. Código Estadual do Meio Ambiente.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
OST, François. A natureza à margem da lei: a ecologia à prova do direito. Lisboa: Instituto Piaget, 1995.
MACHADO, Paulo Affonso Leme. Direito Ambiental Brasileiro. 22 ed. São Paulo: Malheiros, 2014.
CANOTILHO, José Joaquim Gomes; LEITE, José Rubens Morato. Direito constitucional ambiental brasileiro. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2008.

- Complementar:
FENSTERSEIFER, Tiago. Direitos fundamentais e proteção do ambiente: a dimensão ecológica da dignidade humana no marco jurídico-constitucional do estado socioambiental de direito. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2008.
FIORILLO, Celso Antonio Pacheco. Princípios do direito processual ambiental: a defesa judicial do patrimônio genético, do meio ambiente cultural, do meio ambiente digital, do meio ambiente artificial, do meio ambiente do trabalho e do meio ambiente natural do Brasil. 5 ed. .São Paulo: Saraiva, 2012.
FREITAS, Juarez. Sustentabilidade: direito ao futuro. Belo Horizonte: Fórum, 2012.
Ecologia de Agroecossistemas
CH: 30h-a
EMENTA:
Conceitos de ecossistema, agrossistema e Agroecossistema; teoria de sistemas e sua aplicação na agricultura; história, definição e classificação de agroecossistemas; valoração funcional dos ecossistemas; propriedades dos agroecossistemas; biodiversidade e recursos genéticos em agroecossistemas; sistemas tradicionais; sistemas agroflorestais; desenho, redesenho e manejo de agroecossistemas: princípios e estratégias; sistematização de experiências; energia no ecossistema: caminhos dos elementos nos ecossistemas; ecologia da paisagem, biodiversidade, extinção e conservação; desenvolvimento econômico e ecologia global.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
ALTIERI, Miguel. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. São Paulo, Expressão Popular, 2012.
RICKLEFS, Robert E.; BUENO, Cecilia; SILVA, Pedro P. de Lima e. A economia da natureza. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003.
GLIESSMAN, Stephen R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. 2a ed. Porto Alegre, Editora UFRGS, 2001.

- Complementar:
AQUINO, A. M. de; ASSIS, R. L. de. Agroecologia: princípios e técnicas para uma agricultura orgânica sustentável. Brasília – DF, Embrapa Informação Tecnológica, 2005.
ODUM, Eugene P.; BARRET, Gary W. Fundamentos de ecologia. São Paulo: Cengage Learning, 2008.
TOWNSEND, Colin R.; BEGON, Michael; HARPER, John L. Fundamentos em ecologia. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.
Metodologia de Pesquisa
CH: 30h-a
EMENTA:
Discussão dos conceitos de ciência e metodologias científicas. Apresentação dos aspectos teórico-práticos da elaboração de um projeto de pesquisa, dissertação e tese.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
ANDRADE, Maria Margarida de; MARTINS, Joao Alcino de Andrade. Como preparar trabalhos para cursos de pós-graduação: noções práticas. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2002.
PARRA FILHO, Domingos; SANTOS, Joao Almeida. Metodologia científica. São Paulo: Futura, 1998.
STRAUSS, Anselm; CORBIN, Juliet. Pesquisa qualitativa: técnicas e procedimentos para o desenvolvimento de teoria fundamentada. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

- Complementar:
BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2012.
RICHARDSON, Roberto Jarry et al. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. rev. ampl. São Paulo: Atlas, 1999.
LAVILLE, Christian; DIONNE, Jean. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artmed, 1999.
PEREIRA, Júlio Cesar Rodrigues. Análise de dados qualitativos: estratégias metodológicas para as ciências da saúde, humanas e sociais. 3. ed. São Paulo: EDUSP, 2004.
CHEMIN, Beatris Francisca. Manual da Univates para trabalhos acadêmicos: planejamento, elaboração e apresentação. 3. ed. Lajeado: UNIVATES, 2015.
Perspectivas Sustentáveis para o Desenvolvimento Regional
CH: 30h-a
EMENTA:
Do desenvolvimentismo à globalização: o desenvolvimento como problema teórico e político. A dinâmica da globalização. Cadeias globais de valor. O habitus econômico como condicionante do desenvolvimento regional. Estratégias de parcerias multi-institucionais para o desenvolvimento regional.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
BIELSCHOWSKY, Ricardo. Pensamento econômico brasileiro: o ciclo ideológico do desenvolvimentismo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.
ARRIGHI, Giovanni. A ilusão do desenvolvimento. Petrópolis : Vozes, 1997.
BOURDIEU, Pierre. As estruturas sociais da economia. Lisboa: Instituto Piaget, 2001.

- Complementar:
ARRIGHI, Giovanni. Globalização e Macrossociologia Histórica. Revista de Sociologia Política, Curitiba, n. 20, p. 13-23, jun. 2003. Disponível em www.scielo.br/pdf/rsocp/n20/n20a3.pdf.
BORN, Harry (org.). Diálogos entre esferas global e local. São Paulo: Peirópolis, 2002.
VEIGA, José Eli. Desenvolvimento sustentável: o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

Legislação para empreendimentos industriais e agrícolas:

Biossegurança e Responsabilidade Jurídica
CH: 30h-a
EMENTA:
Biodiversidade, biotecnologia e biossegurança. A engenharia genética e o seu impacto no meio ambiente. Áreas de impacto da engenharia genética. Impactos sobre o Meio Ambiente. Diretrizes da Política de Biossegurança para a prevenção ou redução de riscos para o meio ambiente. Dos Potenciais Riscos. Comissão Técnica Nacional de Biossegurança - CTNBio e Conselho Nacional de Biossegurança - CNBS. Estudo das responsabilidades oriundas da não observância às diretrizes nacionais de biossegurança.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
BINSFELD, Pedro Canisio. (Org.) Fundamentos Técnicos e o Sistema Nacional de Biossegurança em Biotecnologia. Rio de Janeiro: Interciência, 2015.
DINIZ, Maria Helena. O estado atual do biodireito. São Paulo: Saraiva, 2009.
FUKUYAMA, Francis. Nosso futuro pós-humano: consequências da revolução da biotecnologia. Rio de Janeiro: Rocco, 2003.

- Complementar:
LEITE, José Rubens Morato; FAGUNDEZ, Paulo Roney Ávila. (org.) Aspectos Destacados da Lei de Biossegurança na Sociedade de Risco. Santa Catarina: Conceito Editorial, 2008.
MALUF, Adriana Caldas do Rego Freitas Dabus.Curso de bioética e biodireito. São Paulo: Atlas, 2013.
OLIVEIRA, Simone Born de. Da bioética ao direito: manipulação genética e dignidade humana. PR: Juruá, 2003.
Análise, conservação e manejo dos patrimônios Arqueológico e Paleontológico
CH: 30h-a
EMENTA:
A Arqueologia e a Paleontologia como patrimônios culturais e ambientais nos licenciamentos. Tipos de sítios arqueológicos e paleontológicos. Marcos regulatórios e avaliações dos patrimônios arqueológico e paleontológico em estudos de impactos ambientais. Planos de manejo dos patrimônios arqueológico e paleontológico. Recursos metodológicos para o planejamento e execução de estudos arqueológicos e paleontológicos. Práticas em preservação dos patrimônios arqueológico e paleontológico.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
CARVALHO, I., de S., (ed.). Paleontologia (3 Vol.). Rio de Janeiro: Editora Interciência, 2011. 1268 p.
BASTOS, R., L.; SOUZA de, M., C.; GALLO, H., (Org.). Normas e Gerenciamento do Patrimônio Arqueológico. São Paulo: SR/IPHAN, 2005. 264 p.
FOGOLARI, E. Gestão em Projetos de Arqueologia. Erechim: Habilis, 2009.

- Complementar:
CHAMLEY, H. Geosciences, Environment and Man: Developments in Earth & Environmental Sciences. Amsterdam: Elsevier, 2003. 527 p.
FOOTE, M.; MILLER, A., I. Principles of Paleontology. New York: W.H. Freeman and Company, 2007. 354 p.
SOARES, I., V., P. Proteção Jurídica do Patrimônio Arqueológico no Brasil: fundamentos para a efetividade da tutela em face de obras e atividades impactantes. Erechim: Editora Habilis, 2007. 237 p.
Produção Ecológica - Legislação e Certificação
CH: 30h-a
EMENTA:
Legislação para produção e comercialização de produtos orgânicos vegetais e animais. Sistema orgânico de produção agropecuária. Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica. Certificação de produtos ecológicos.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
ALTIERI, M. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. São Paulo: Expressão Popular, 2012.
AQUINO, A. M. de; ASSIS, R. L. de. Agroecologia: princípios e técnicas para uma agricultura orgânica sustentável. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2005.
STRINGHETA, P. C., MUNIZ, I.N. Alimentos orgânicos: produção, tecnologia e certificação. Viçosa: UFV, 2003. Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (PNAPO) - Decreto Nº 7.794, de 20 de agosto de 2012.

- Complementar:
BHULLAR, G. S.; BHULLAR, N. K. Agricultural Sustainability: Progress and Prospects in Crop Research. Tertiary; University or College, 2012.
BOHLEN, P. J.; PATRICK J.; BOHLEN, P. J.; HOUSE, G. Sustainable Agroecosystem Management: Integrating Ecology, Economics, and Society. CRC Press, 2012.
GLIESSMAN, S. R. Agroecology: researching the ecological basis for sustainable agriculture (Ecological Studies). Springer, 2013.
Sistemas de Gestão Ambiental
CH: 30h-a
EMENTA:
Sistemas de Gestão Ambiental e seus componentes. Terminologias, Riscos e Normas (ISOs 9001, 14001, 18001, 26001 e 19011). Implementação de Sistema de Gestão Ambiental nas organizações. Documentação de Sistema de Gestão Ambiental. Certificação Ambiental. Selos Verdes e Sistemas de Informação Ambiental. Ciclo de Vida dos Materiais.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
ASSUMPÇÃO, Luiz Fernando Joly. Sistema de gestão ambiental: manual prático para implementação de SGA e certificação ISO 14.001/2004. Curitiba: Juruá, 2011.
CALLISTER JR., William D. Fundamentos da ciência e engenharia de materiais: uma abordagem integrada. Rio de Janeiro: LTC, 2014.
NOGUEIRA, Luiz Augusto Horta (Org). Ciências ambientais para engenharia. Rio de Janeiro: Elsevier, 2014.

- Complementar:
SEIFFERT, Mari Elizabete Bernardini. ISO 14001: sistemas de gestão ambiental - implantação objetiva e econômica. Editora Atlas, 2011.
CONRADO, Daniel. A qualificação de recursos humanos para a implantação e manutenção de sistemas de gestão ambiental: um estudo em dois países. Dissertação de Mestrado (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), 1998.
BARBIERI, José Carlos. Gestão ambiental empresarial: conceitos, modelos e instrumentos. São Paulo: Saraiva, 2004.
Licenciamentos e Estudos Ambientais
CH: 30h-a
EMENTA:
Licenciamento ambiental como instrumento da Política Ambiental. Competências. Atividades a serem licenciadas. Etapas do licenciamento ambiental: Licença Prévia (LO), Licença de Instalação (LI), Licença de Operação (LO) e Licença de Regularização de Operação (LRO). Atividades geradoras de impactos local, médio e alto, com base nas resoluções ambientais. Procedimentos para elaboração de projetos, pareceres e laudos ambientais. Análise de projetos para liberação de licenças. Anotação de responsabilidade Técnica e Termo de Responsabilidade Técnica. Corredores ecológicos, reserva legal e termos de ajuste e conduta. Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
CONAMA, Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução n.º 237, de 19 de dezembro de 1997, publicada no DOU em 22 de dezembro de 1997.
TRENNEPOHL, Curt. Licenciamento ambiental. Niterói: Impetus, 2011.
SÁNCHEZ, Luis Enrique. Avaliação de Impacto Ambiental: conceitos e métodos. São Paul: Oficina de Textos, 2008.

- Complementar:
BECHARA, E. Licenciamento e compensação ambiental. Ribeirão Preto: Editora Atlas. 2009. 295p.
GODOY, A.V. A Eficácia do Licenciamento Ambiental como um Instrumento Público de Gestão do Meio Ambiente. Brasília: OAB Editora. 2005. 77p.
MACHADO, A.Q. Licenciamento ambiental: atuação preventiva do Estado à luz da Constituição da República Federativa do Brasil. Porto Alegre: Ed. Livraria do Advogado. 2012. 150p.

Bases ecológicas para o licenciamento ambiental

Microbiologia Ambiental
CH: 30h-a
EMENTA:
Ação e importância dos micro-organismos na natureza e nos alimentos. Estrutura e classificação dos micro-organismos. Fatores que afetam o crescimento dos microorganismos. Diversidade dos micro-organismos nos diferentes ambientes. O papel desempenhado pelos micro-organismos nos ciclos biológicos dos elementos nos ecossistemas. As interações entre os micro-organismos e outros organismos. Participação dos micro-organismos na poluição ambiental e a sua utilização na biotecnologia. Microorganismos indicadores e decompositores. Ecologia microbiana. Biofilmes microbianos. Infecções e intoxicações alimentares. Aplicações de métodos recomendados para análise microbiológica. Atividades práticas de laboratório.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
PELCZAR JUNIOR, M. J.; Chan E. C. S.; KRIEG, N. R.; EDWARDS, D. D.; PELCZAR, M. F. Microbiologia- conceitos e aplicações. São Paulo: Pearson, Makron Books, 2005.
TORTORA, G. J., et al. Microbiologia. Porto Alegre: Artmed, 2012.
MADIGAN, M. T., et al. Microbiologia de Brock. Porto Alegre: Artmed, 2010.

- Complementar:
BLACK, J. G. Microbiologia: fundamentos e perspectivas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.
FORSYTHE, S. J. Microbiologia da Segurança Alimentar. Porto Alegre: Artmed, 2002.
JAY, J. M. Microbiologia de Alimentos. Porto Alegre: Artmed, 2005.
PEPPER, I. L.; GERBA, C. P.; GENTRY, T. J. Environmental microbiology. United States of America. Elsevier. Book Aid International, 2015.
Métodos e Técnicas de Geoprocessamento e Sistemas de Informações Geográficas
CH: 30h-a
EMENTA:
Uso de Sistemas de Informações Geográficas (SIGs) para análise ambiental e manejo de recursos naturais; Sistemas de Informações Geográficas: definições, origem, histórico e características; Principais aplicações na área ambiental dos SIGs; Efeitos das escalas espaciais e temporais nos fatores estruturais e agentes modificadores dos ecossistemas; Análise e interpretação dos padrões espaciais dos fatores estruturais e agentes modificadores dos ecossistemas; Métodos convencionais e computadorizados, vantagens e desvantagens no uso de SIGs; Manejo de Dados Espaciais e auxílio à tomada de decisões; Métodos quantitativos de análise dos fatores estruturais e do uso e cobertura do solo; Efeitos espaciais e temporais das mudanças do uso e cobertura da terra na estrutura de ecossistemas; Análise integrada de ecossistemas por sensoriamento remoto; Desenho e implementação de bancos de dados georreferenciadas para o planejamento ambiental; Desenho e implementação de um projeto; Definição e aquisição do Sistema de Informações Geográficas: diretrizes gerais; Estrutura e elaboração do banco de dados: localização, aquisição e conversão de dados; Elaboração e manutenção do banco de dados digital georreferenciadas.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
LANG, Stefan; BLASCHKE, Thomas. Análise da paisagem com SIG. São Paulo: Oficina de Textos, 2009.
MOREIRA, Mauricio Alves. Fundamentos do sensoriamento remoto e metodologias de aplicação. 3. ed. Viçosa: UFV, 2007.
SANTOS, R. F. dos. Planejamento Ambiental: teoria e prática. São Paulo: Oficina de Textos, 2004.

- Complementar:
ENSEN, John R. Sensoriamento remoto do ambiente: uma perspectiva em recursos terrestres. São José dos Campos: Parêntese, 2009.
FRANCO, Maria de Assuncao Ribeiro. Planejamento ambiental para a cidade sustentável. 2. ed. São Paulo: Annablume, 2001.
LANG, Stefan; BLASCHKE, Thomas. Análise da paisagem com SIG. São Paulo: Oficina de Textos, 2009.
Ecologia e Manejo de Fauna
CH: 30h-a
EMENTA:
Conceito de fauna silvestre, importância da fauna silvestre. Hábitat e fauna silvestre, características do hábitat relevantes à fauna. Biodiversidade, conceitos e métodos de mensuração. Princípios de manejo de fauna silvestre. Fauna brasileira ameaçada de extinção. Tópicos de legislação relacionada à fauna. Noções de zoologia econômica, legislação e procedimentos para licenciamento de empreendimentos envolvendo criação, manutenção, comercialização e transporte de animais autóctones brasileiros.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
BEGON, Michael; HARPER, John L.; TOWNSEND, Colin R. Ecologia: de indivíduos a ecossistemas. Porto Alegre: Artmed, 2007.
GOTELLI, Nicholas J. Ecologia. Londrina: Planta, 2009.
ODUM, Eugene P. Ecologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1988.

- Complementar:
INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA N.° 169/2008, de 20.fev.2008.
CUBAS, Zalmir S.; SILVA, Jean Carlos Ramos; CATÃO-DIAS, José Luiz. Tratado de Animais Selvagens Medicina veterinária. 1. ed.: Editora Roca, 2007.
CULLEN JR., Laury; RUDRAN, Rudy; VALLADARES-PÁDUA, Cláudio. Método de Estudos em Biologia da Conservação e Manejo da Vida Silvestre. 2. ed. Curitiba: Editora UFPR, 2003.
Ecologia de Comunidades Vegetais
CH: 30h-a
EMENTA:
Identificação de espécies vegetais; Métodos de amostragem de diferentes comunidades vegetais (campestres, florestais, arbustivas, epífitas); Definição de parâmetros fitossociológicos; Sucessão vegetal e caracterização dos estágios sucessionais da vegetação com base em amostragem fitossociológica; índices de diversidade e de similaridade entre comunidades vegetais; Análises Multivariadas aplicadas à Fitossociologia.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
FELFILI, J. M.; EISENLOHR, P. V.; FIUZA DE MELO, M. M.; ANDRADE, L. A.; MEIRA
NETO, J. A. A. Fitossociologia no Brasil: Métodos e Estudos de Casos. Viçosa: Editora UFV, 2011. 556p.
GUREVITCH, J.; SCHEINER, S.M.; FOX, G.A. Ecologia Vegetal. 2. ed. Porto Alegre: Artmed. 2009. 592p.
McCUNE, B.; GRACE, J.B. Analysis of Ecological Communities. Oregon: MJM Press, Gleneden Beach. 2002. 304p.

- Complementar:
CRAWLEY, M. J. Plant Ecology. Oxford: Blackwell Scientific Publications. 1997. 736p.
PILLAR, V.D., 2009. MULTIV sofware for multivariate exploratory analysis, randomization testing and bootstrap resampling. Version Beta 2.6.8. Porto Alegre, Departamento de Ecologia, UFRGS.
AMERICAN JOURNAL OF BOTANY. St. Louis: Botanical Society of America. 1914-. ISSN 1537-2197. Disponível em http://www.amjbot.org/.
PLANT ECOLOGY. New York: Springer. 1948-. ISSN 1573-5052. Disponível em http://www.springer.com/life+ sciences/plant+sciences/journal/11258.
Planejamento e Metodologia de Avaliação de Impactos Ambientais
CH: 30h-a
EMENTA:
Fundamentos teóricos do planejamento e análise ambiental. Abordagem metodológica de indicadores de sustentabilidade e de impacto ambiental. Gestão das bacias hidrográficas. Tecnologias e técnicas utilizadas na análise de impactos ambientais.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
GOMES, Marco Antonio Ferreira; PESSOA, Maria Conceição Peres Young (Eds). Planejamento ambiental do espaço rural com ênfase para microbacias hidrográficas: manejo de recursos hídricos, ferramentas computacionais e educação ambiental. Brasília (DF): Embrapa informação tecnológica, 2010.
MARQUES, J. F.; SKORUPA, L. A. tec.; FERRAZ, J. M. G.. Indicadores de sustentabilidade em agroecossistemas. Jaguariúna: Embrapa Meio Ambiente, 2003.
SÁNCHEZ, Luis Enrique. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos. São Paulo: Oficina de Textos, 2008.

- Complementar:
ADISSI, Paulo José; PINHEIRO, Francisco Alves; CARDOSO, Rosangela da Silva (Orgs). Gestão ambiental de unidades produtivas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.
ARAUJO, Gustavo Henrique de Sousa; ALMEIDA, Josimar Ribeiro de; GUERRA, Antonio José Teixeira. Gestão ambiental de áreas degradadas. 7. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.
VERDUM, Roberto; MEDEIROS, Rosa Maria Vieira (Orgs). RIMA: relatório de impacto ambiental : legislação, elaboração e resultados. 5. ed. rev. ampl. Porto Alegre: UFRGS, 2006.

Eficiência produtiva na agricultura familiar

Gestão e Gerenciamento de Resíduos na Agroindústria
CH: 30h-a
EMENTA:
Caracterização dos resíduos na Agroindústria; Legislação pertinente a geração de resíduos na Agroindústria; Fatores econômicos envolvendo a geração de resíduos na agroindústria; Prevenção, redução e reutilização de resíduos; Tratamento aeróbio de resíduos; Tratamento anaeróbio de resíduos; Recuperação e aproveitamento energéticos no tratamento de resíduos; Destinação de resíduos da agroindústria.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
Revista Engenharia Agrícola – Journal of the Brazilian Association of Agricultural Engineering / ISSN: 0100-6916 (impresso); ISSN:1809-4430 (on-line). Biomass and Bioenergy/ ISSN: 0961-9534.
Waste Management & Research - The official journal of the International Solid Waste
Association (ISWA) / ISSN: 0734-242X (impresso), ISSN: 1096-3669 (online).

- Complementar:
Sciente Agrícola / ISSN 0103-9016 (impresso); ISSN: 1678-992X (on-line).
Revista Brasileira de Ciências Ambientais / ISSN: 1808-4524 (impresso); ISSN: 2176-9478 (on-line). Waste Management / ISSN: 0956-053X.
Controle Biológico aplicado no Controle de Pragas
CH: 30h-a
EMENTA:
Controle biológico de pragas: conceitos, importância e seu histórico, situação atual no país e exemplos de programas de controle biológico bem sucedidos; Controle biológico clássico e o sistema quarentenário no país; Teoria da trofobiose e fatores que interferem nos ecossistemas de cultivo: desequilíbrio da planta; Resistência de plantas à inseticidas e seu manejo; Gestão de doenças em sistemas agroecológicos: importância e análise integrada do solo; Solos supressivos e conducentes de patógenos; Manejo ecológico de doenças; Métodos alternativos de controle de doenças: integrado e controle biológico; Desenvolvimento e estratégias de controle de doenças.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
PARRA, J. R. P.; BOTELHO, P. S. M.; CORREA-FERREIRA, B. S.; BENTO, J. M. S. Controle biológico no Brasil: parasitoides e predadores. São Paulo: Editora Manole, 2002.
DEBACH, Paul; ROSEN, David. Biological control by natural enemies. Cambrigde University Press, 1991.
VAN LENTEREN, J.C. IOBC Internet Book of Biological Control, version 6. Spring, 2012.

- Complementar:
Roy G. Van Driesche, Thomas S. Bellows Jr. Biological Control. Springer US. 1996. DOI 10.1007/978-1-4613-1157-7
ALBAJES, R.; GULLINO, M. L.; VAN LENTEREN, J. C.; ELAD, Y. Integrated pest and disease management in greenhouse crops. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, 1999.
BUENO, Vanda Helena Paes. Controle biológico de pragas: produção massal e controle de qualidade. 2. ed. rev. ampl. Lavras: UFLA, 2009.
Tecnologias em Produção Animal
CH: 30h-a
EMENTA:
Cenário da produção animal brasileira com ênfase em bovinocultura de leite e corte, suinocultura e avicultura de corte e postura. Cadeias de proteína animal e arranjos produtivos locais. Aplicações de tecnologias produtivas em propriedades rurais e agroindústrias.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
GONÇALVES et. Al. Biotécnicas aplicadas à reprodução animal. 2. ed. Roca, 2008.
TAYLOR, R.W., FIELD, T.G. Scientific Farm Animal Production. 10.ed. Prentice Hall, 2011.
COUTO, U. P. Fabricação de rações e suplementos para animais: gerenciamento e tecnologias. 2. ed. Viçosa: Editora UFV, 2012.

- Complementar:
HILL, R. W. Fisiologia animal. 2. ed. Medica Pan-americana, 2012.
Livestock Science, Elsevier, 2006. Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/journal/18711413
Journal of Dairy Science, Elsevier, 1917. Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/journal/00220302
Agricultura e Produção Familiar: Aspectos Socioeconômicos
CH: 30h-a
EMENTA:
A agricultura familiar e os diferentes modelos de produção. Organização social e novas formas de relação com o mercado. Tradição e neotradicionalismo no cenário social rural. Políticas públicas para o desenvolvimento rural. Princípios das relações econômicas e de gestão no contexto agrícola. Alternativas para a unidade produtora familiar: produção de base ecológica; produção em pequena escala, cooperativas, assentamentos, mercados alternativos (comércio justo, economia solidária). Condicionantes do processo produtivo: recursos, estrutura sócio produtiva, tecnologias, produtividade, valoração ambiental.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
BATALHA, M. O. Gestão agroindustrial. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2001.
BACHA, Carlos J. C. Economia e Política Agrícola no Brasil. São Paulo: Editora Atlas, 2003.
LAMARCHE, H. A Agricultura Familiar: Comparação Internacional. Campinas: UNICAMP, 1993.

- Complementar:
DIEGUES, A. C. O Mito Moderno da Natureza Intocada. São Paulo: HUCITEC, 1998.
FRIEDLAND, W. New ways of working and organization: alternative agrifood movements and agrifood researchers. Rural Sociology, n. 75, v.4, p. 601-627, 2010.
VEIGA, J. Desenvolvimento Agrícola: uma visão histórica. São Paulo: EdUSP, 2007.
Controle de Qualidade Associado à Cadeia Produtiva de Alimentos
CH: 30h-a
EMENTA:
Princípios e aplicação do controle de qualidade na cadeia produtiva de alimentos. Controle de qualidade de alimentos: análises químicas, físico-químicas, microbiológicas e sensoriais de alimentos. Procedimentos analíticos laboratoriais envolvendo essas análises. Desenvolvimento de produtos alimentícios inovadores.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
DAMODARAN, Srinivasan; PARKIN, Kirk L.; FENNEMA, Owen R. Química de alimentos de Fennema. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.
DUTCOSKY, Silvia Deboni. Análise sensorial de alimentos. 2. ed. rev. ampl. Curitiba: Champagnat, 2009.
SILVA, Neusely da; JUNQUEIRA, Valeria Christina Amstalden; SILVEIRA, Neliane Ferraz de Arruda. Manual de métodos de análise microbiológica de alimentos. 2. ed. São Paulo: Varela, 2001.

- Complementar:
BERTOLINO, Marco Túlio. Gerenciamento da qualidade na indústria alimentícia: ênfase na segurança dos alimentos. Porto Alegre: Artmed, 2010.
CECCHI, Heloisa Mascia. Fundamentos teóricos e práticos em análise de alimentos. 2. ed. Campinas: Unicamp, 2003. JAY, James M; TONDO, Eduardo Cesar - trad. Microbiologia de alimentos. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.
NEESSER, Jean-Richard; GERMAN, J. Bruce (Eds). Bioprocesses and biotechnology for functional foods and nutraceuticals. Nova York: Marcel Dekker, 2004.
TONDO, Eduardo César; BARTZ, Sabrina. Microbiologia e sistemas de gestão da segurança de alimentos. Porto Alegre: Sulina, 2011.

Sistemas produtivos avançados no agronegócio

Ecoempreendedorismo em Sistemas Agroindustriais
CH: 30h-a
EMENTA:
Ecoempreendedorismo em sistemas agroindustriais: conceitos e práticas; o processo de empreender; características do ecoempreendedor; plano de negócios; gestão ambiental em empreendimentos agroindustriais; eco-inovação e tecnologias ambientais; empreendedorismo e desenvolvimentos ambiental, social e econômico; estratégias socioambientais em empreendimentos agroindustriais.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
ALIGLERI, Lilian; ALIGLERI, Luiz Antonio; KRUGLIANSKAS, Isak. Gestão socioambiental: responsabilidade e sustentabilidade nos negócios. São Paulo: Atlas, 2009.
BORGES, Cândido (Org). Empreendedorismo sustentável. São Paulo: Saraiva, 2014.
DIAS, Reinaldo. Eco-inovação: caminho para o crescimento sustentável. São Paulo: Atlas, 2014.

- Complementar:
ALBUQUERQUE, José de Lima (Org). Gestão ambiental e responsabilidade social: conceitos, ferramentas e aplicações. São Paulo: Atlas, 2009.
BENNETT, Steven J.; GEDANKE, Sara. Ecoempreendedor: oportunidades de negócios decorrentes da revolução ambiental. São Paulo: Makron Books, 1992.
BERLE, Gustav; WIEZEL, Gladys P. O empreendedor do verde: oportunidade de negócios em que você pode salvar a terra e ainda ganhar dinheiro. São Paulo: Makron Books, 1992.
BESSANT, John; TIDD, Joe. Inovação e empreendedorismo. Porto Alegre: Bookmann, 2009.
Estratégias de Gestão em Sistemas Agroindustriais
CH: 30h-a
EMENTA:
Sistemas Agroindustriais (SAG´s). Coordenação e Gerenciamento dos Sistemas Agroindustriais. Instituições e Organizações nos Sistemas Agroindustriais.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
BATALHA, Mário Otávio; GEPAI; Grupo de Estudos e Pesquisas Agroindustriais. Gestão agroindustrial. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2009.
NEVES, Marcos Fava; CHADDAD, Fabio R.; LAZZARINI, Sergio G. Gestão de negócios em alimentos. São Paulo: Pioneira, 2002.
ZYLBERSZTAJN, Decio; NEVES, Marcos Fava (Orgs). Economia e gestão dos negócios agroalimentares. São Paulo: Pioneira, 2000.

- Complementar:
ARAUJO, Massilon J. Fundamentos de agronegócios. 2. ed. rev. ampl. atual. São Paulo: Atlas, 2009.
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças de. Manual de gestão das cooperativas: uma abordagem prática. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2012.
OLIVEIRA, Paulo de Salles. Cultura solidária em cooperativas: projetos coletivos de mudança de vida. São Paulo: USP, 2006.
Saneamento Ambiental
CH: 30h-a
EMENTA:
Caracterização das principais fontes e formas de poluição de águas. Análise e caracterização de águas e efluentes. Legislação. Técnicas convencionais de tratamento de águas e efluentes. Técnicas avançadas de tratamento de águas e efluentes. Aspectos acerca de resíduos sólidos, efluentes e contaminações gasosas.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
BAIRD, Colin; CANN, Michael. Environmental chemistry. 3. ed. Nova York: W. H. Freeman, 2005.
RICE, Eugene W. et al. Standard methods for the examination of water and wastewater. 22. ed. Washington (DC): American Public Health Association, 2012.
TCHOBANOGLOUS, George; BURTON, Franklin L; STENSEL, H David; Metcalf & Eddy.
WASTEWATER engineering: treatment and reuse .4. ed. Boston: McGraw-Hill, 2004.

- Complementar:
MANAHAN, Stanley E. Fundamentals of environmental chemistry. 2. ed. Boca Raton: Taylor e Francis, 2000.
BRETT, Christopher M. A.; BRETT, Ana Maria Oliveira. Electrochemistry: principles, methods, and applications. Oxford: Oxford University Press, 2005.
EDWARDS, Clive A.; ARANCON, NORMAN Q.; SHERMAN, Rhonda (Eds). Vermiculture technology: earthworms, organic wastes and environmental management. Boca Raton: CRC Press, 2011.
Biotecnologia nos Processos Produtivos de Alimentos
CH: 30h-a
EMENTA:
Noções básicas das funções do DNA e RNA. Microrganismos e suas aplicações na produção de alimentos. Técnicas moleculares para o diagnóstico de análise de alimentos. Processos biotecnológicos aplicados ao aprimoramento da produção de alimentos. Aplicação da biotecnologia para melhoria da qualidade nutricional e sensorial dos alimentos.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
ALBERTS, Bruce; JOHNSON, Alexander; LEWIS, Julian. Biologia molecular da célula. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2011.
NEESSER, Jean-Richard; GERMAN, J. Bruce (Eds). Bioprocesses and biotechnology for functional foods and nutraceuticals. Nova York: Marcel Dekker, 2004. Food Science and Technology. Elsevier, 1993.

- Complementar:
BORÉM, Aluízio; SANTOS, Fabrício Rodrigues dos. Entendendo a biotecnologia. Viçosa: [s.n.], 2008.
ROY, Michael J. Biotechnology operations: principles and practices. Boca Raton: CRC, 2011. Trends in Food Science & Technology. Elsevier, 1990.
Dinâmicas de Produção e Consumo
CH: 30h-a
EMENTA:
O mercado como interface das relações de produção e consumo. Impacto do consumo na sociedade contemporânea: consumo sustentável. Formas de produção sustentáveis e orientadas ao mercado. As práticas de produção e consumo como externalidades culturais e sociais. Produção agroindustrial e sua inserção na estrutura social e organizacional. Estratégias de produção e consumo em sistemas sociais complexos. Conflitos de poder, tecnológicos e sociais nas dinâmicas de produção e consumo agroalimentar.

BIBLIOGRAFIA:
- Básica:
ARAUJO, Luis; FINCH, John; KJELLBERG, Hans. Reconnecting marketing to Markets. Oxford: OUP Oxford, 2010.
PRESS, M.; ARNOULD, E.J.; MURRAY, J.B.; STRAND, K. Ideological Challenges to Changing Strategic Orientation in Commodity Agriculture. Journal of Marketing. v. 78, n. 6, p. 103-119, 2014.
SLATER, Don; TONKISS, Fran. Market society: markets and modern social theory. Oxford: Blackwell Publishers Ltd, 2001.

- Complementar:
THOMPSON, C.J. Marketplace mythology and discourses of power. Journal of Consumer Research, v. 31, n. 1, p. 162-180, 2004.
GEISLER, M. e VERESIU, E. Creating the Responsible Consumer: Moralistic Governance Regimes and Consumer Subjectivity. Journal of Consumer Research, v. 41, n. 3, p. 840-857, 2014.
PORTILHO, F. Sustentabilidade Ambiental, Consumo e Cidadania. São Paulo: Cortez Editora, 2005.